Arquivo da categoria: florianópolis

Retrospectiva 2009 do Caminho Dourado!

Eeeeeee!

Mais um ano se vai, né?
2009 não vai tarde, não, porque eu devo confessar que AMEI 2009. Foi o ano de…

. Mudar de emprego mais uma vez! Blog LP foi uma surpresa e eu devo confessar que amo cada vez mais, cada dia que passa, trabalhar lá, amo o que faço, e provavelmente continuarei fazendo isso durante muito tempo! ALIÁS: em 2009 TODO MUNDO do Blog LP mudou de emprego! A equipe é toda nova, com menos de um aninho, e cheia de gás. Dá uma olhadinha no editorial de brilhos incrí que fizemos – e que o povo que visita o site pelo MSN fica gongando! haha
Segredinhos dos bastidores: a Lilian me entrevistou… sem voz! Foi a entrevista de emprego mais estranha da minha vida! hahahaha

. Foi um ano que a magia cigana ficou mais quietinha e deu lugar pra outras coisas e valores. Magia cigana é bom e te deixa leve, mas às vezes é bom coisas pesadas pra carregar e te manter com o pé no chão.

. Continuo conhecendo um monte de gente e ficando chocado com isso. Será que eu nunca vou parar de conhecer gente? Além de trabalhar com Antonia, o que já é maravilhoso por ter me reaproximado dela, descobri a Aurinha e o Marcel, que são dois lindos! Isso, só no trabalho: conheci mais um monte de gente, nem vou enumerar pra ninguém ficar triste.
E Brisa merece menção especial, sorry: BEIJOS, BRI!

. O Coletivo Teatro Dodecafônico está a todo vapor. E não pára – não pára – não pára não! Adoro trabalhar com Verô e com as meninas, é muito enriquecedor pra mim, me tira um pouco da bolha da moda. É um respiro.

. E a convivência com a Verô em si sempre me é muito agradável e acima de tudo cheia de fermento. Faz pensar, faz crescer. Adoro tomar cerveja só eu e ela, a gente sempre fala coisas que rebatem, fico pensando nos papos depois e depois.

. Viagens (praticamente pros mesmos lugares!), redescobertas. A viagem que eu fiz pra Floripa foi a mais esquisita: a gente quase não foi pra praia, e ao mesmo tempo ela foi tão cheia, lotada de significados… Cada vez mais as viagens são pros mesmos lugares e mais pra dentro de mim. Hippie, né? É o meu jeitinho.

. Jornalista, figurinista e… DJ residente. HAHAHA amo! Eu tô praticamente me aposentando da noite, mas confesso que adoro – cada vez mais – tocar.

. E quanto aos amores?
Olha, esse ano não foi fácil de amores até quase o fim, mas eu sou brasileiro e não desisto nunca. Agora, nesse exato momento, estou muito feliz e muito confiante. Muito apaixonado, muito etc. E com uma certeza esquisita – por ser tão certa – de que 2010, nessa área, será calmo, quentinho, fofo, e acima de tudo lindo.
Eu achava que estava procurando alguém de um jeito, mas não. Eu tava procurando um jeito novo. Ou sei lá o que eu tava procurando. A gente se preocupa muito com o que procura, e não com o que encontra. Tenho falado disso com a minha irmã.

. Engraçado, uma irmã minha reclamou que eu não era muito amigo dela. E o resultado foi… que eu fiquei mais amigo da minha outra irmã. Alguém explica? Nena?

. Perder a inocência é muito, muito bom. Não se pode nem se deve gostar de todo mundo. Tem gente ruim e chata no mundo, é uma questão de sobrevivência. Só os do bem sobrevivem por aqui nos arredores… Simples assim. Somos seres sociais, mas isso não quer dizer ser amigo de todo mundo.

Em 2010, as risadas continuam, hein?

Guerreiros: reginem! Feliz tudo!

Anúncios

A luz mais bonita do mundo

O cemitério dos cães está com a areia um pouco revirada.
No fundo, não importa.
Olhei para aquele par de óculos escuros e pensei – eu sei quem você será amanhã
pois eu sabia.
Acho que ele ouviu.

A Estrada das Lágrimas, horrorosa, estava banhada com a luz mais bonita do mundo.
É a terceira vez no ano que eu vejo a luz mais bonita do mundo ao vivo.
Isso só pode significar alguma coisa.

Ofélia –
O velho do ponto de ônibus me disse que é necessário ter paciência,
concordei.
Ele vestia um colete de lã
enquanto eu agüentava o vento de bermuda,
e nos meus sonhos pode ter sido ele o homem que escreveu
aquela mensagem para Vanessa,
a felizarda Vanessa,
naquele muro.

É como cantar Tim Maia às quatro da madrugada com o motorista do táxi.
É como perder o ponto por um erro seu,
só seu,
e passar nos lugares que você tentou evitar.
É como ler a mensagem escrita no xerox e entender um pouco de tudo.

Ofélia, Vanessa pode ter matado por amor,
mas eu juro que ela é inocente.
Acontece.
Ofélia, as coisas são mais simples do que você imagina.
Se o cansaço não te deixa pensar, aceite os sinais
e abrevie.
As coincidências podem existir
por toda e qualquer sorte de coisas.

O pinto sai do ovo.
O resto é arabesco e adorno ao redor do mesmo simples mistério.

Os ciganos sabem que o leite derramado é melhor do que não tentar beber leite algum.

Agora, Bernardo –
os tempos estão mudando.
Acompanhe-os.
Eu não vou te matar de amor,
longe de mim te matar de amor,
ambos sabemos que não poderia te matar de amor,
a luz mais bonita do mundo sabe que eu não poderia te matar de amor.

Mas o Jogo da Vida é muito mais complexo do que o Playstation.
Lembre-se disso quando ganhá-lo.
Ambos sabemos que eu não poderia te matar de amor
e que não foi dessa vez.

Bruna
você não lerá isso a tempo,
mas olhe para aquele mar por mim
e diga a ele
que estou com saudades.
Aí, do alto de um morro, bem em cima de uma ilha,
foi a primeira vez no ano
que vi a luz mais bonita do mundo
e ela me bastou.

É como um ingresso de uma peça.
Se tiver peitinho ou pintinho aparecendo,
valeu o preço.

Coisas tecnológicas que eu amo

Eu amo laptops.
Eu amo wireless.
Eu amo wireless em lugares estranhos, tipo numa casinha de Santo Antonio de Lisboa em Florianópolis.
Eu amo plantões de internet decentes, que podem ser realizados remotamente.

Obrigado, Santo Silício, por me proporcionar uma viagem para Floripa em tão pouco tempo. Quer dizer, vamos ver, né?

E aí, Raul? Libera.

teatro da vida


teatro da vida

Originally uploaded by Monga Monga Monga

tem foto de Floripa também no Flickr da Bia!!!

Um cão bacana

Pepe ficou um tempo curtindo com a gente em um bar chamado Açores.
Pois bem.
Ele tem UMA COMUNIDADE NO ORKUT.
Acho instigante.

Entrei, claro.

Cinema do CIC – INCRÍVEL


Cinema do CIC – INCRÍVEL

Originally uploaded by Djoh

Esse é o cinema de Floripa que eu fui e falei que era o máximo. Ó a Mari e o Raul sentadinhos!

Joelho bicolor

Originally uploaded by Djoh

eu sei, eu sou ridículo