Arquivo da tag: Roberto Carlos

Porque eu gostei do CD novo da Marisa Monte

1º é bom deixar claro que eu sou do tipo de gente que ainda compra CD.

Depois é bom deixar claro que eu não sou fã que gosta de tudo que a Marisa Monte lança. Não gostei de Infinito Particular, por exemplo.

Mas O que você quer saber de verdade é lindo.
É hippie.
É simples.
É Roberto e Erasmo hippies (ou seja, Erasmo).
É um reencontro dela com várias coisas, mas não exatamente um reencontro igual.
É mais (Mais?) do mesmo, mas é mais.
É Raul Seixas em Aquela velha canção.
É muito popular e muito sério e muito verdadeiro, eu acho.

É cheio de verdades que eu quero saber.

Coisinhas

Não sei, decididamente.
A vida tem sido muito engraçada e manhosa.

***

Comprei 4 discos.
O novo da Mallu Magalhães, porque eu sou fã e não queria ter só em MP3.
(e eu realmente gosto muito desse CD, acho que é tão de coração… meu lado hippie suspira)
O da Tiê, que eu ainda não ouvi direito – se eu gostar falo mais dele aqui.
O da Fernanda Takai ao vivo, que é MUITO bom – e particularmente acho melhor que o de estúdio, só com músicas do repertório da Nara Leão. A música do Frank Jorge, por exemplo (Você já me esqueceu é o nome), acho até que ultrapassa o Robertão dos anos 70, é puro Odair José, música de corno maravilhosa. Ben é uma fofura. 5 discos, da própria Fernanda com o John, é outra meio de corninho e bem fofa, bem pseudo intelectual apaixonado (então talvez eu tenha me reconhecido): “Li duzentos livros / cinco discos escutei / consultei mil dicionários / pra saber onde eu errei” – óun.

E falando em Robertão, o quarto disco é o de Roberto Carlos de 1977, um dos meus favoritos dele. Falando sério, Cavalgada, Ternura, Outra vez… SÓ CRÁSSICOS.

***

Assisti Toy Story 3 e chorei. Nem sei o porquê. A minha prima tinha um bebê de brinquedo igualzinho o bebezão. Será que é isso?
E qual será o significado dessa história?
Desapegar para crescer? O ceder pode ser bonito?
No mundo do desenho 3D as coisas podem ser bem bonitas, mesmo.

***

Domingo.
– E o marido dela, tá bem?
– Ah… meio acabado.
– Acabado? Mas ele não faz esportes e tudo?
– Pois é, faz muito esporte! Tá acabadíssimo. Vive cansado.
– Tá acabado de tanto fazer esporte?
– É, sabe, ele não faz esporte por hobby, tipo de vez em quando. Ele só faz isso o tempo todo!

***

De comissário e de louco, todo mundo tem um pouco.
– Ah, então você é que nem eu, que tenho que fingir simpatia o tempo todo no trabalho mas no fundo tô achando tudo chato?
No trabalho eu não finjo, mas em outros lugares… Vixe.

***

Adorei tocar domingo na Chanchada! Toquei um remix de Coração. Tô muito viciado nessa música, preciso ouvi-la uma vez por dia, pelo menos, senão meu coração não fica tranquilo.

WE’VE BEEN THERE WE’VE SEEN THAT

“Você não me conhece? Então, continuo a mesma!” – Maria Antonia disse, e era como se ela estivesse dizendo algo que eu mesmo deveria dizer.

NO SURPRISES.

Esperando sentado

50 anos…

… e alguns tropeços, né, Roberto?

Queria saber porque a Fernanda Takai ainda não gravou isso

Fernanda, pode me responder, por favor?

Para os 50 anos de carreira de Roberto

Ele com Wanderléa na minha música preferida dela.

Beijos, Roberto!