Arquivo da tag: Madonna

Lady Gaga ou Madonna?

Nunca fui tão fã assim da Madonna, sabia? Gosto mais da 1a fase dela. Portanto, hj em dia, Lady Gaga.

Ask me anything

Anúncios

E a Lady Gaga, hein?

Sério, tô muito impressionado com a Lady Gaga. Quando ela saiu na capa da Rolling Stone e a revista colocou na chamada “A nova Madonna”, eu – e mais um monte de gente – achou um exagero bizarro e sem tamanho. Mas olha… estou reconsiderando.

Guardadas as devidas proporções, sente só:
. Madonna planejou e controlou a maioria dos “escândalos & polêmicas” que protagonizou. Era um marketing. Britney Spears, por exemplo, se meteu em encrencas e ficou louca, o que é bem diferente. Lady Gaga, por sua vez, me parece ter esse mesmo senso de marketing, mas adaptado pro século XXI. Os figurinos bizarros, por exemplo: ela consegue superar Madonna nesse sentido de se reinventar trazendo coisas novas como… uma roupa feita de Cacos dos Muppets! Causa, óbvio, e ela sabe disso. Madonna não ousa mais – no último clipe, está de Balmain. Lady Gaga causa também ela declarar que cheirava pó. Drogas ainda são tabu. Falar que fez sexo com mulher é coisa boba depois de Madonna. Que beijou, então… Ah, Katy Perry, você é legalzinha mas ainda precisa comer uns arrozzz, uns feijããão…
. O fator hermafrodita: a única coisa que Madonna ainda não sugeriu em matéria de sexo durante a sua carreira é que ela… fosse hermafrodita. HAHA Lady Gaga é cercada por esses rumores. Adoraria que ela fosse mesmo. Seria a primeira pop star hermafrodita, quer coisa mais século XXI?!
. A música: é hedonista e megapop, assim como Madonna, e ao mesmo tempo parece mais interessante e espertinha do que os outros pops descartáveis. Impressão? Bom, o fato é que, assim como Madonna, Lady Gaga compõe. Isso já faz uma grande diferença.
. Reconstrução estética: Madonna, hoje, é exemplo de beleza. Quando surgiu, não era bem assim. Não que ela fosse feia, mas sua beleza não era clássica – estava mais pra italianona doidona. Mas ela provou que era bonita e sexy daquele jeito sim, inclusive com todos aqueles badulaques, e crucifixos, e lingerie aparecendo, e cabelo descolorido meio errado que virou supercerto. Lady Gaga tem a mesma capacidade: não é bonita mas tem presença de palco impressionante, segurança de pop star, sabe chamar a atenção… e acaba ficando bonita, estranha mas bonita.
. Finalmente, dança: nesse quesito, Lady Gaga fica bem pra trás. Ela dança bem menos que Britney, Madonna, Beyoncé etc. Mas isso prejudica seu show? Parece que não. Nos vídeos do V Festival, que aconteceu nesse fim-de-semana, o que se vê são pessoas gritando e adorando.

E é por tudo isso que eu acho que, no fundo, a Britney é o novo Michael Jackson. E que talvez, sim, Lady Gaga seja a nova Madonna.


Lady Gaga canta Pokerface no V Festival

Tributo a Janaína Rosa

Todo mundo sabe que eu amo a Jana e que mesmo ela sendo a minha roommate (Dimanche não gosta que eu chame ela de roommate porque ele diz que está tecnicamente errado, ela seria minha roommate se a gente dormisse no mesmo quarto), enfim, mesmo a gente morando no mesmo apartamento nós ainda não nos matamos – nem brigamos – nem ao menos discutimos.
Quer dizer, discutir a gente discute sempre porque a Jana é uma louca emotiva e eu sou um louco racionalista.

A beleza do encontro é muito estranha. Não sei exatamente quando eu vi ou quando fui apresentado pela Jana pela primeira vez. Deve ser memória seletiva, mas o primeiro momento no qual me lembro dela, estávamos na House of Palomino (ainda na Mourato) dançando juntos, bem animados. Fatos bizarros dessa noite:

1) Talita também estava! Eu chamei ela pra ir comigo! E ela surpreendentemente aceitou ir num rolê fashion – e o melhor, que eu me lembre ela gostou de ir!!!
2) Marininha apareceu com uma garrafa de uísque num dado momento. Posso estar confundindo. Acho que não bebi uísque, mas pode ser que eu tenha bebido.
3) Eu lembro de ter dançado alguma música da Madonna em um andaime. Dizem que existem fotos. Nunca as vi.
4) Não faço a mais vaga ideia de como voltei pra casa nesse dia. E me lembro de ter um “C” do Chic no meio da galera… tô viajando?!

Bom, o fato é que existe a história (real) que eu e Jana vamos contar quando nos chamarem pra fazer uma palestra (tipo Regina com Costanza) de que Jana me pediu emprego por intermédio de Thais Mol e eu não quis que ela trabalhasse durante a temporada (sei lá porquê!). Eu ainda não a conhecia. Bom, foi amor à primeira vista depois que a vi. Porque…

1) Jana é a pessoa mais carismática que existe na face da terra.
2) Jana não é tão malucona quanto parece. Na verdade, eu sempre disse que a Antonia que era a louca, e ninguém nunca acreditou em mim. Mas é, eu juro, a Antonia que é a louca, a Jana é quase careta e às vezes precisa ser arrastada pra balada porque sempre prefere dormir.
3) Jana é a pessoa mais criativa que eu conheço depois de Gustavo Garcez. Ela é quase um Gustavo de saia e mais sóbrio.
4) Jana tem histórias legais pra contar – algumas até envolvem cocô.
5) Jana tem as melhores frases de efeito (assim como Gustavo).

6, but not least) Eu sei que eu posso contar com a Jana sempre.

Esse sexto item é algo cada vez mais raro de se ver, mas eu tenho uma sorte bizarra de me deparar com pessoas com as quais eu posso contar ao longo da vida. É estranhíssimo. A Jana é uma das mais recentes.

Janinha, você sabe tudo o que eu acho dos seus próximos meses, que você é O Segredo encarnado e tudo e tal. Sorte nunca é demais, então eu te desejo muita sorte, e mais paciência, e mais fervo, e menos paranóia, e mais risada (mais ainda?), e mais Gigio & Celso, e menos quilos, e mais paetê e franja, e mais ciganismo, e mais pele boa, e mais amores, e menos rumores, e mais escudo pra inveja, e menos escudo pra assuntos do coração, e o sucesso que você merece (que é tanto), e parabéns pelos seus dezoito aninhos!!!

Ou é dezessete? Ai, tô tão empolgado pra também chegar na minha maioridade!

Billie Jean by Madonna

Vi no Dlisted.

Kelly Key Cover me liga direto

Essa moça tá diferente?

Uma resposta de Maria Bethânia

Entre eu e você
Existe a notícia que nos separa
Eu quero que você me veja nu
Eu me dispo da notícia
E a minha nudez parada
Me denuncia e te espelha
Eu me delato
Tu me relatas
Eu nos acuso e confesso por nós
Assim me livro das palavras
Com as quais você me veste.

Gonna dress you up with my love

E eu quero ter olhos para ver
a maldade desaparecer.

Esse é um texto non-sense, oferecimento da insônia de segunda-feira! Beijos, Kelly! Você arrasa e o nome da sua doença está na boca do sapo!
Coloquei minha sobrinha embaixo da mesa para chamar sua saúde de volta! MUITO OLHO GREGO DE MYKONOS PRA VC!!!

Tina, Leila, María Elena

Finalmente o post tão prometido.

Não se fazem mais mulheres fortes e admiráveis como antigamente. Hoje a gente tem o quê?
Madonna – já nas tabelas.
Amy Winehouse – risos.
No Brasil a coisa fica ainda mais complicada. Camila Pitanga? Marisa Monte?

Estou me referindo a mulheres que revolucionam. Que nos fazem repensar os papéis.

Tina e Leila possuem, nisso, muito em comum.

Tina Modotti já foi atriz, fotógrafa e acabou se tornando uma comunista ferrenha. Morreu em conseqüências esquisitas, em um táxi, em 1942. Tina era fodona: dizem que era uma mulher lindíssima, enlouquecia os homens, provocava ciúme nas mulheres. Posava nua para um de seus amantes – naquela época, pense só. Dizem que um retrato seu alcançou valor recorde em uma casa de leilão. Dizem que quem o arrematou foi… Madonna.
Dizem também que foi ela quem apresentou Frida Kahlo para Diego Rivera. Responsa, né?

Tina era tão malucamente foda que, ao falecer, ganhou poema de Pablo Neruda em sua lápide.
Tina Modotti, hermana, no duermes, no, no duermes.

tina-modotti-bandolier-corn
Bandolier, corn, guitar, de Tina Modotti, 1927. Uma das minhas fotos preferidas dela, apesar de dizerem que o que Tina gostava mais de fotografar eram pessoas.

Veja mais algumas fotos lindas de Tina Modotti. E leia Modotti: uma mulher do século XX, quadrinhos de Ángel de la Calle publicado pela Conrad Editora que é uma das coisas mais fodas. O cara tem o tema tão intrínseco em sua vida (“É um projeto de vida”, me lembra, mais uma frase poderosa saindo da boca de Verônica Veloso) que consegue passar isso para a obra. Você percebe que tudo é autêntico e feito, acima de tudo, com autenticidade, dedicação, amor. Lindo demais.

Ya pasarán un día por tu pequeña tumba
antes de que las rosas de ayer se desbaraten,
ya pasarán a ver, los de un día, mañana,
dónde está ardiendo tu silencio.

Se Leila era tão maravilhosa, mulherão admirável como Tina, a impressão que eu tenho é que a brasileira era mais solar. Também tinha idéias de esquerda mas, antes, parece-se mais com a Tina que viveu no México e fez sua revolução pessoal, com mais ação e menos discurso.

Tina, nessa época, usava calça comprida e vivia com um homem com quem não era casada. Era artista, prafrentex. Leila falava palavrão quando queria, tomava cachaça quando queria, ia para cama com quem queria mas acima de tudo exercia a felicidade. Não fazia as coisas para chocar, fazia as coisas que a deixavam feliz.

Leila Diniz é protagonista de um dos meus filmes preferidos do cinema, e um dos filmes que me fizeram gostar de cinema nacional: Todas as mulheres do mundo. Por causa dele Domingos de Oliveira também se tornou um dos meus cineastas preferidos.

O filme está disponível INTEIRINHO no YouTube, mas eu recomendo comprar em DVD e rever uma vez por ano, para acreditar na humanidade, na beleza, no amor e no mar.


Participação de Leila em Os paqueras, de 1969, no papel… dela mesma! Repara que ela é o maior caroço: pede para experimentar tudo e sai com uma sacolinha! HAHAHA


Leila dança em um show de Dalva de Oliveira, que ela adorava. A atriz não era chique, não era elegante, não era fashionista. Mas eu dançaria com ela SEMPRE.

“Brigam Espanha e Holanda
pelos direitos do mar
O mar é das gaivotas
que nele sabem voar.

Brigam Espanha e Holanda
pelos direitos do mar
porque não sabem que o mar
é de quem o sabe amar”.

A poesia é de Leila Diniz.

Pode ler o artigo da irmã de Leila, Lígia, chamado Leila Diniz: um feminino que se realizou. E corre para comprar Leila Diniz: uma revolução na praia, de Joaquim Ferreira dos Santos, da Companhia das Letras. É um livro lindo, bem escrito, esclarecedor para entender porque essa mulher revolucionou os costumes de sua época.

Finalmente, a María Elena de Penélope Cruz no filme de Woody Allen (a saber, Vicky Cristina Barcelona) por si só é uma proeza. Nenhum cineasta americano tinha conseguido fazer Penélope ficar realmente bonita, no seu auge, como Pedro Almodóvar. Allen conseguiu. E na verdade só a incluo aqui entre Tina e Leila porque María Elena é o arquétipo da artista instigante. Do tipo que mais nos interessa e do tipo que cada vez mais falta: a artista que vive sua arte. Que exerce sua arte plenamente.

Arte está virando trabalho de horário comercial.

Vergonha alheia do ano

Esqueça as piadas sobre Madonna e o modelo Jesus, porque Madonna pode ter Jesus no coração mas eu NÃO TENHO, tô nervoso com a possibilidade dele desfilar no Fashion Rio e eu ter que ficar correndo atrás desse pulha.

Mas esse vídeo é uma piada pronta. Gente. Esse programa realmente passa na TV?! Vocês juram?!