Arquivo da tag: homossexualidade

Agnaldo e a trilogia da “noite”


Galeria do amor

Perdido na noite (não encontrei no YouTube)

Eu pecador (idem)

“Porque retrata uma realidade que não se pode questionar; o cara pode ser macumbeiro, católico, budista, protestante, se ele tem a sua tendência homossexual, ele vai viver a sua vida homossexual; não tem Cristo que dê jeito pra mudar, não tem. Alguém diz ‘ah, o cara agora é evangélico e deixou o homossexualismo’. É mentira. Isso não existe. Se a pessoa gosta, quando chega a hora ele vai namorar e pronto.” – Agnaldo Timóteo, sobre a última das 3 músicas, no livro Eu não sou cachorro, não – Música popular cafona e ditadura militar, de Paulo Cesar de Araújo

Livro, aliás, incrível. Paulo Cesar, sou seu fã.

Anúncios

Esse Odair é babado!

http://www.4shared.com/embed/107354017/405044b6

Chocadíssimo! Ele é tudo, né??? Fofo! Te amo, Odair!

Gayzices


Dolph Lundgren em Masters of the Universe, sabe, aquele filme do He-man? hahaha


Lux Interior, que eu sei que não é gay, afinal ele era marido da Poison Ivy. Mas rola uma gayzice na foto, né? E eu pago maior pau pro codinome, que vem de Luxury mas eu fico pirando que é um punk falando de LUZ INTERIOR, meio hippie, né? hahahaHAHAHA


Calvin Klein Jeans, 1981. Adivinha o fotógrafo?
Bruce Weber, né? Não reconheceu a empinada?


HAHAHAHAHA

ai ai. e a falta do que fazer, enfio onde?
gayzices, néam…

Oi Jor, me ajude. O que eu faço pra evitar o preconceito por ser gay? Tenho 17 anos. :(

ôh, lindinho, eu não sei, não sou especialista nisso… mesmo pq não sofri tanto com isso, sempre lidei com a questão de maneira muito natural e as pessoas foram qse sempre de boa comigo tb. acho q não tem muito como evitar, tem como conviver, né?

Ask me anything

Variações…

Antonio Variações, O corpo é que paga – dica de Ricardo Domeneck.

Clipe bizarro, música idem.

“Quando a cabeça não se liberta /
Das frustrações, inibições /
Toda essa forca que te aperta /
O corpo é que sofre /
As privações, mutilações”

Tá?
Antonio assumiu sua homossexualidade na década de 70 e se tornou uma estrela pop. Ele tinha um estilo bem extravagante – dá pra ver pelo bigode descolorido, né? Ele morreu em 1984, e provavelmente foi uma das primeiras personalidades portuguesas a morrer em decorrência da AIDS.

Curti o Antonio.

O fato da música dele se chamar O corpo é que paga e ele ser um homossexual que se assumiu na década de 70 e depois morreu de AIDS é sinistro. Credo. Mas eu curti o cara em si.

E o Gareth Thomas, hein?

Achei fetiche, e vocês?
Saiba mais na notícia da AFP.

Por um cinema bem gay


Do começo ao fim, chocante, tipo incesto entre irmãos, tá? Sinto cheiro de fila gigantesca na porta do cinema.


Little ashes – pára de fingir surpresa, Robert, ambos sabemos que você ensaiou essa cena várias vezes comigo.

O primeiro foi dica de Raffael, o segundo vi nos Petiscos!