Arquivo da tag: Lilian Pacce

como conheceu a lilian e começou a trabalhar com ela?

Ela que me chamou. Eu já conhecia de cobertura de temporada, né? Aí qndo ela me chamou fui morrendo de medo, pq achava q ela era uma bruxa tipo Anna Wintour. E descobri que ela é muito ótima, supergenerosa no sentido de dividir o que ela sabe, superjornalistona no sentido de correr atrás das notícias, enfim! Tá sendo muito muito bom trabalhar com ela.

Ask me anything

Lilian Pacce pra vc é…

minha chefe, uai. hahaha E uma jornalista muito muito boa, com quem eu tô aprendendo muito!

Ask me anything

Um novo vício

Tô viciado em ficar olhando e revisando e colocando tag nos primeiros posts do Blog LP. O último que eu achei foi o que a Lilian fez pro Estadão contando do 1º SPFW – ou seja, quando o MorumbiFashion se transformou em SPFW! Vocês acreditam que o SPFW já teve um RITZ??? Imagina que sonho comer minihambúrguer e bolinho de arroz entre o desfile da Gloria e da Ellus?! AH!

Qual foi o útimo presente que vc recebeu ?

Foi um Tiger Balm da Lilian, direto da China!!!

Ask me anything

Retrospectiva 2009 do Caminho Dourado!

Eeeeeee!

Mais um ano se vai, né?
2009 não vai tarde, não, porque eu devo confessar que AMEI 2009. Foi o ano de…

. Mudar de emprego mais uma vez! Blog LP foi uma surpresa e eu devo confessar que amo cada vez mais, cada dia que passa, trabalhar lá, amo o que faço, e provavelmente continuarei fazendo isso durante muito tempo! ALIÁS: em 2009 TODO MUNDO do Blog LP mudou de emprego! A equipe é toda nova, com menos de um aninho, e cheia de gás. Dá uma olhadinha no editorial de brilhos incrí que fizemos – e que o povo que visita o site pelo MSN fica gongando! haha
Segredinhos dos bastidores: a Lilian me entrevistou… sem voz! Foi a entrevista de emprego mais estranha da minha vida! hahahaha

. Foi um ano que a magia cigana ficou mais quietinha e deu lugar pra outras coisas e valores. Magia cigana é bom e te deixa leve, mas às vezes é bom coisas pesadas pra carregar e te manter com o pé no chão.

. Continuo conhecendo um monte de gente e ficando chocado com isso. Será que eu nunca vou parar de conhecer gente? Além de trabalhar com Antonia, o que já é maravilhoso por ter me reaproximado dela, descobri a Aurinha e o Marcel, que são dois lindos! Isso, só no trabalho: conheci mais um monte de gente, nem vou enumerar pra ninguém ficar triste.
E Brisa merece menção especial, sorry: BEIJOS, BRI!

. O Coletivo Teatro Dodecafônico está a todo vapor. E não pára – não pára – não pára não! Adoro trabalhar com Verô e com as meninas, é muito enriquecedor pra mim, me tira um pouco da bolha da moda. É um respiro.

. E a convivência com a Verô em si sempre me é muito agradável e acima de tudo cheia de fermento. Faz pensar, faz crescer. Adoro tomar cerveja só eu e ela, a gente sempre fala coisas que rebatem, fico pensando nos papos depois e depois.

. Viagens (praticamente pros mesmos lugares!), redescobertas. A viagem que eu fiz pra Floripa foi a mais esquisita: a gente quase não foi pra praia, e ao mesmo tempo ela foi tão cheia, lotada de significados… Cada vez mais as viagens são pros mesmos lugares e mais pra dentro de mim. Hippie, né? É o meu jeitinho.

. Jornalista, figurinista e… DJ residente. HAHAHA amo! Eu tô praticamente me aposentando da noite, mas confesso que adoro – cada vez mais – tocar.

. E quanto aos amores?
Olha, esse ano não foi fácil de amores até quase o fim, mas eu sou brasileiro e não desisto nunca. Agora, nesse exato momento, estou muito feliz e muito confiante. Muito apaixonado, muito etc. E com uma certeza esquisita – por ser tão certa – de que 2010, nessa área, será calmo, quentinho, fofo, e acima de tudo lindo.
Eu achava que estava procurando alguém de um jeito, mas não. Eu tava procurando um jeito novo. Ou sei lá o que eu tava procurando. A gente se preocupa muito com o que procura, e não com o que encontra. Tenho falado disso com a minha irmã.

. Engraçado, uma irmã minha reclamou que eu não era muito amigo dela. E o resultado foi… que eu fiquei mais amigo da minha outra irmã. Alguém explica? Nena?

. Perder a inocência é muito, muito bom. Não se pode nem se deve gostar de todo mundo. Tem gente ruim e chata no mundo, é uma questão de sobrevivência. Só os do bem sobrevivem por aqui nos arredores… Simples assim. Somos seres sociais, mas isso não quer dizer ser amigo de todo mundo.

Em 2010, as risadas continuam, hein?

Guerreiros: reginem! Feliz tudo!

Posso contar agora!

Ufa!
Então.
Tô saindo da Abril. Aqui foi ótimo, mesmo, aprendi muita coisa em pouco tempo. Trabalhei num lugar grandão – e talvez tive certeza de que isso não é muito a minha cara – participei de vários projetos (o guarda-roupa virtual, os blogs de moda dos famosos e pechincha fashion, os blogs das temporadas de moda), aprendi muito mais sobre audiência e como buscá-la de maneiras mais práticas…
Mas, enfim. Vou para .

Acho que é um dos sites especializados mais rápidos hoje, com uma equipe animadérrima (de pessoas queridas), com o nome de Lilian por trás – que é uma jornalista mega, que corre atrás, entrevista, apura, com várias fontes, e que cobre toda a temporada internacional cheia de fôlego. Já tenho várias coisas para sugerir – mas sei lá, né, vou primeiro chegar para ver como é – hihihi. Tava sentindo falta de ter uma redação para dividir o frisson de “acabaram de chegar as fotos da Balenciagaaaa!”.
Na Abril eu dizia isso e as pessoas faziam uma cara de “Balenciaga? Oi?”. Com toda a razão, né, elas não são obrigadas.

E devo confessar que dois estímulos foram primordiais:
– Almoçar com a Talita! O escritório é pertinho.
– Trabalhar de novo com o Gustavo. Ele é a pessoa mais criativa do mundo. Sério.

Bom, vou contando mais novidades. Continuo na Abril até sexta que vem e na segunda já vou para outra redação.

Frio na barriga. Gostoso, né?

Sobre o que é blog e o que não é

Ainda se discute isso em outros lugares fora o meio fashion?

A resposta é… não.
Fiz um comentário no blog da Lilian Pacce – que causou polêmica porque muita gente que estava no Pense Moda acha que NÃO é um blog porque não tem uma opinião pessoal – como se isso fosse o que torna um blog… blog ou não.
Ah, então blogs que não são opinativos não são blogs? Essa discussão is so autumn / winter 2005.

Na íntegra, o comentário:
Achei essa discussão meio ultrapassada – aliás, como a grande parte da discussão. Blog é uma ferramenta, e nos outros meios nem se discute mais seu conceito. Ele é rápido e tem tudo a ver com o ritmo de internet. Vcs são uns dos mais rápidos na publicação de notícias – e não é isso que importa?

Agora, uma discussão sobre como essa rapidez afeta a moda, quais são os prós e contras, o que a moda poderia ter a ganhar com isso – todos esses pontos ficaram relegados a segundo plano. Achei o resultado final ingênuo, uma prova de que o povo da moda está um pouco ultrapassado no “pensar”… Enfim, é a minha opinião.

Acrescento: os blogs de música estão afetando de maneira direta a música – eles disponibilizam MP3, são ótima ferramenta para descobrir nomes novos que surgem, democratizam o gosto, os parâmetros. Blogs de cinema também são uma maneira incrível de descobrir filmes interessantes que não chegam por aqui, cinematografia de outros lugares, outras praias, outros contextos.
Blogs de moda são, em sua maioria… “wannabe mainstream“. Não são meios alternativos – pelo menos aqui no Brasil, não os vejo assim. Não existem para isso. Sempre digo para os alunos dos cursos de jornalismo de moda que eu dou: tem blog especializado em sapato? Tem blog especializado em bolsa? Tem blog especializado em marca barata? Tem blog especializado no Bom Retiro? Tem blog especializado de alguma maneira?
Pouquíssimos. Especializados em liquidação, em moda de rua… Mas ainda estamos bem pra trás. Fikdik, você, que quer ser blogueiro. Ainda tem MUITO ESPAÇO.

KD?

Modelos que tem tudo para serem uma next Carol Trentini e… somem.

O blog da Lilian Pacce fez uma matéria ó-ti-ma sobre algumas delas. Sabe o tal “por onde anda”? Sou fã, o último que me fez enlouquecer foi o da Duda Little, que saiu no G1 e eu nunca mais achei depois!

Duda é produtora, hoje.

Mas quem não queria ser Duda Little quando era little? Ela tinha o melhor nome e era a mais batuta de todas as crianças!

Enfim, sem mais digressões, vai lá na Lilian ler a matéria!

Esse kuduro só me fode

Tô com a perna toda cagada e tô meio doente de ficar fazendo agachamento.
Eu achei que ainda tinha 20 anos, segundo a Bia.
Tô véia.

Tá, EU ACHEI QUE AINDA TINHA 16 ANOS E FIZ TIPO FERVO NO FIMDE. Fui na Vai! na sexta, me deram um catavento metalizado e eu pensei “ai, que bom, sou alguém na noite” – mas aí reparei que tinha umas pessoas meio nem-confiança com catavento e cheguei a conclusão que isso não queria dizer nada. Teve performance do Jack Mugler e foi ótima, eu achei lindo, nunca tinha assistido performance dele.
Aí comecei a tomar caipirinha e já viu.


Depois de nove minutos você vê o resultado. A Mariana que tirou essa foto – está no blog da Lilian Pacce, para todo mundo ver como eu sou uó.
E o Guima tava com raiva do lenço dourado que eu tava usando que tombou essa gravatinha chinfrim dele, por isso ele tentou me enforcar.

Bom, a Jana diz que eu não só cumprimentei o Supla como perguntei pra ele o que ele tava fazendo lá – veja aqui – ENTÃO VOCÊ JÁ PODE ME IMAGINAR NA SARJETA, AMIGUINHO.

Aí no sábado eu ainda decidi que tinha tanto pique quanto uma cheerleader americana e corri para o Astronete para ver o amigo Gutierrez tocar.
Aí ele tocou kuduro e eis-me aqui, todo cagado.
Antes disso eu ainda dei uma de Santo Antonio e, se bem me recordo, dancei bem rebolante com a Katiane. Alguém confirma, por favor? Obrigado.

Links 2

Madeleine Lacsko: sou fã. Conheço ela do colégio, quando ela estudava com meu primo mais velho. Atualmente a Madeleine trabalha na Jovem Pan e reencontrei ela nos corredores da Bienal fazendo vídeos para o site da rádio.
Quem quiser dar uma olhada: tá aqui. O site tem uma navegação meio ruim (você tem que clicar nos SPFW, ir procurando, nada prático), mas vale a pena. E saiba que não é impressão sua: o tom meio irônico é de propósito.
Madê fez um vídeo comigo que ainda não está no ar, assim que estiver eu aviso.

***

Comentário Giselle Nasser e Jefferson Kulig no SPFW TV: eu que fiz. Como me odeio no vídeo, eu fico ridículo!
Perguntei para a Gloria como ela consegue ficar gravando entrevista, porque você tem que pensar muito enquanto fala para não dizer besteira, isso te deixa muito cansado. Ela não me revelou o segredo.

***

O blog da Lilian Pacce é bem bacana, já viu?

***

Maria Prata explica porque dá essa impressão de que ela só fala bem.
Eu também tenho esse problema. Quando não o desfile não foi bom, tomo muito cuidado – afinal, por que não rolou? E que relevância tem a minha opinião? É complicado…

***

Uma das melhores coisas da temporada atualmente é o Show do Brinde. Quem não conhece a Alexandra Farah não faz idéia de como ela é engraçada! Ela é MUITO engraçada. É sério. Lembra da Diaba?
Então, o Show do Brinde tem um clima mais vida real e é AO VIVO: trata-se de um vídeo com Alê falando sobre os brindes que rolaram super – e gongando os brindes ruins. Ela gonga mesmo, tipo “liberdade de expressão”! Eu só assisti o Show do Brinde do Fashion Rio, e parece que o servidor do site que ela está usando, que é no exterior, deu uns problemas e não está arquivando os programas passados. Enquanto isso, mantenha-se informado pelo FilmeFashion – quando, onde, como, tudo isso você descobre lá.

***

Blog da Olívia Hanssen tá acompanhando tudo na Bienal e tem um olhar mais insider, de backstage. Vale uma visita, mesmo que seja pelas imagens.
Tô meio irritado com alguns dos outros blogs, que decidiram só fazer cobertura de passarela. O que era legal era esse olhar diferente, mais fresco, de coisas que acontecem no entorno. Todo mundo quer ser crítico de moda?! Para quê? Para sentar na primeira fila? Saibam que ser crítico de moda na maioria das vezes é meio chato. Eu, que ainda estou engatinhando nisso, tenho mil dificuldades – imagina criticar o desfile de 30 anos de Lino Villaventura?! É tipo fazer resenha de uma coletânea de crônicas do Machado de Assis! Precisa fazer um mestrado antes!