Arquivo da tag: François Truffaut

Entrevistado!

Saiu uma entrevista comigo no Bainha de Fita-Crepe! Adorei as perguntas, bem pertinentes, mas é só para quem se interessa bastante por jornalismo de moda, mesmo – não espere coisas tipo “Qual a última roupa que você comprou?”.

você também encontra entrevista com Natália D’Ornellas (da L’Officiel), Alcino e Vivi (da Folha) e Simone Esmanhotto (ex-Elle, e autora do informatívíssimo C’est Sissi Bon). Tô adorando essa coisa de entrevistas com o meio – é bacana porque é mais espaço virtual para discussão boa, enriquece o nosso trabalho.

E adorei a frase do Alcino: “Ao invés de assistir Sex and the City cinco vezes, assistir pelo menos uma vez Les 400 Coups (Os Incompreendidos, François Truffaut, 1959), por exemplo”. É isso aí. Sarah Jessica, você me diverte mas desculpa, o Truffaut me torna um ser-humano melhor.

Aliás, saiu a programação completa da mostra da Helena Ignez que eu falei no post anterior (veja atualização) no Guia da Folha (sem sinopses…) e também recebi uma programção de uma mostra do HSBC sobre Ingmar Bergman. Ui, que cult!

Anúncios

Ode ao Pink Violence Movie

No meu TCC Como manda o figurino eu fiz um capítulo específico sobre as Mega-vestidas para matar – personagens cinematográficas que são mulheres vingativas. Nesse balaio de gato coloquei A noiva estava de preto (de François Truffaut, 1968), Female Prisoner #701: Scorpion (de Shunya Ito, 1972), Kill Bill: vol. 1 (de Quentin Tarantino, 2003) e Lady Vingança (de Park Chan Wook, 2005) – eu ia colocar o Thriller – en grym film, de 1974, mas não deu tempo. O Fer ainda vai me emprestar esse, né, Fer?

Mas tudo isso para dizer que eu descobri recentemente que na verdade esse tipo de filme tem um nome. O Pink Violence Movie é, em sua essência, um filme japonês que de certa forma corresponde a pornochanchada brasileira, no sentido de ter sido uma decorrência da concorrência do cinema e da TV na década de 60 e da crise da indústria cinematográfica. Ambos são gêneros de apelo extremamente popular que hoje em dia podem ser encarados por outro prisma e, voilá, viram cult movies.

O Pink Violence sempre tem uma mulher no papel principal, e ela geralmente é violenta – e, no fim das contas, ela sempre está a fim de se vingar de alguém, ou da vida, que é muito má. É normal que haja cena de estupro e maldades contra essa anti-heroína. Mas a anti-heroína sempre é estilosééérrima e poderoséééérrima. Ela pode ter um bando ou parar na cadeia, onde tem que enfrentar gente invejosa e inimiga – e muitas vezes ela acaba se deparando com lésbicas, e aí rola mais uma cena básica de sexo, né, pessoal?
OU SEJA – o Pink Violence é tipo a nossa vida, mas com mais sangue e assassinato. Fora que é pink! THINK PINK!

Fiquei apaixonado em saber que esses filmes todos tem um NOMINHO. Depois dos japoneses (e do Truffaut que pensou nisso antes numa versão bem soft), o povo todo descobriu que era muito legal fazer filmes com mulheres que se metem em encrencas e ficam seminuas em várias situações e surgiram Pink Movies de outros lugares – mas eu continuo achando os japoneses, até agora, os ++. E

u já tinha lido sobre o assunto mas muito por cima, não sabia que as pessoas levavam tão a sério – tem grupos fanáticos e tudo! Resultado é que eu tô procurando assistir a todos os que eu ainda não vi e me divertindo pencas.
Incluindo na listinha que eu dei, podemos colocar entre os que já assisti o Lady Snowblood (de 1973, fantástico de lindo) e o Lili – a estrela do crime (de 1988, uma versão meio abrasileirada dos Pink Violence Movies, dirigida pelo marido da Paula Toller, acredita?!).

O meu preferido (ainda) é Female Prisoner #701: Scorpion. Mas decidi que vou falar de um a um aqui, vai ser divertido – mesmo porque já tenho o texto do TCC, é só incrementar. Aguardem!

Nami, a Scorpion
Chega mais que eu te corto, FDP!

A grande lista dos livros que o Jorge ainda quer

Ela fica aqui, guardadinha, e caso você, caro leitor, seja generoso o bastante, PODE ME DAR UM PRESENTE. HAHAHAHA

À meia luz – cinema e sexualidade nos anos 70 – Paulo Menezes – Editora 34 (R$ 28,50 na Arte Pau Brasil)
Alhos e safiras: a vida secreta de uma crítica de gastronomia – Ruth Reichl – Ed. Objetiva (R$ 36,58 na Cia dos Livros)
Amor, poesia, sabedoria – Edgar Morin – Bertrand Brasil (R$ 16,10 na FNAC)
O anti-semitismo na Era Vargas: fantasmas de uma geração (1930 – 1945) – Maria Luiza Tucci Carneiro – Ed. Perspectiva (R$ 51,35 na Cia dos Livros)
Antologia – Adília Lopes – CosacNaify / 7Letras (R$ 28 no Submarino)
Atrás das linhas inimigas do meu amor – Leonard Cohen – 7Letras (R$ 33 na Saraiva)
Balzac e a costureirinha chinesa – Dai Sijie – Alfaguara Objetiva (R$ 20,30 na FNAC)
Bastidores de Hollywood: a influência exercida por gays e lésbicas no cinema 1940-1969 – William J. Mann (R$ 40,80 na Livraria Melhoramentos)
“Beat” Takeshi Kitano – Takeshi Kitano – Tadao Press (US$ 25,74 na Amazon)
Beat Takeshi vs Takeshi Kitano – Casio Abe, Saisuke Miyao e Takeshi Kitano – Muae Publishing (US$ 19,86 na Amazon)
As benevolentes – Jonathan Littell – Alfaguara Objetiva (R$ 55,90 na FNAC)
A bomba informática – Paul Virilio – Estação Liberdade (R$ 28,40 na Livraria Galileu)
Born to be gay: história da homossexualidade – William Naphy – Edições 70 (R$ 81 no Submarino)
Boy – Takeshi Kitano – Vertical (US$ 13,46 na Amazon)
O Brasil na moda – Paulo Borges, Giovanni Bianco, João Carrascosa – Caras (R$ 99 na FNAC)
Caçando carneiros – Haruki Murakami – Estação Liberdade (R$ 36 na Cia dos Livros)
Caminhos da China – John Pomfret – Ed. Landscape (R$ 35,92 na Laselva)
Cassandra – Christa Wolf – Estação Liberdade (R$ 34,40 na Cia dos Livros)
As cidades invisíveis – Ítalo Calvino – Cia das Letras (R$ 25,60 na Livraria Melhoramentos)
O cinema americano dos anos 30 – Oliver Rene Veillon – Ed. Martins Fontes (R$ 31,05 na Arte Pau Brasil)
O cinema americano dos anos 50 – Oliver Rene Veillon – Ed. Martins Fontes (R$ 28,98 na Maremoto)
O cinema segundo François Truffaut – François Truffaut – Ed. Nova Fronteira (R$ 40,18 na Livraria Melhoramentos)
Clarice Lispector com a ponta dos dedos – Vilma Areas – Cia das Letras (R$ 26,90 na FNAC)
Cleópatra: histórias, sonhos e distorções – Lucy Hughes-Hallett – Ed. Record (R$ 42,70 na FNAC)
Cobras e lagartos – Josmar Jozino – Ed. Objetiva (R$ 35,92 no Submarino)
Cock & Bull: histórias para boi dormir – Will Self – Geração Editorial (R$ 9,90 na Saraiva)
Como vivem os mortos – Will Self – Alfaguara Objetiva (R$ 37,36 na Cia dos Livros)
Como viver junto – Roland Barthes – Ed. Martins Fontes (R$ 37,50 na FNAC)
Conclave – Roberto Pazzi – Alfaguara Objetiva (R$ 31,12 na Cia dos Livros)
Correio do tempo – Mario Benedetti – Alfaguara Objetiva (R$ 20,80 na Saraiva)
O crisântemo e a espada: padrões da cultura japonesa – Ruth Benedict – Ed. Perspectiva (R$ 18,35 na Cia dos Livros)
De Berlim a Jerusalém: recordações da juventude – Gershom Sholem – Ed. Perspectiva (R$ 20,80 na Livraria Martins Fontes)
O desafio do Islã e outros desafios – Roberto Romano – Ed. Perspectiva (R$ 36,34 na Cia dos Livros)
Os deuses da Grécia – Walter Friedrich Otto – Ed. Odysseus (R$ 25,44 na Cia dos Livros)
Diabo guardião – Xavier Velasco – Alfaguara Objetiva (R$ 41,90 na FNAC)
Ditos e escritos, volume V: ética, sexualidade, política – Michel Foucault – Ed. Forense Universitária (R$ 59,25 na Cia dos Livros)
Do amor – Stendhal – L&PM (R$ 12,60 na FNAC)
Doença como metáfora; AIDS e suas metáforas – Susan Sontag – Cia das Letras (R$ 12,90 na FNAC)
Dom Sebastião no Brasil: fatos da cultura e da comunicação em tempo-espaço – Marcio Onório de Godoy – Ed. Perspectiva (R$ 19,75 na Cia dos Livros)
Dorival Caymmi: o mar e o tempo – Stella Caymmi – Ed. 34 (R$ 61,50 na Cia dos Livros)
As egípcias: retratos de mulheres do Egito – Christian Jacq – Ed. Bertrand Brasil (R$ 34,30 na FNAC)
Egito dos Faraós – Airton Ortiz – Ed. Record (R$ 28,44 na Cia dos Livros)
Em busca do Egito esquecido – Jea Vercoutter – Ed. Objetiva (R$ 28,08 na Cia dos Livros)
Enciclopédia do Cinema Brasileiro – Ramos, Miranda – Senac SP (R$ 96,75 na Academia do Livro)
A Era Chanel – Edmonde Charles-Roux – CosacNaify (R$ 89,40 na Cia dos Livros)
Erec e Enide – Manuel Vazquez Montalban – Alfaguara Objetiva (R$ 25,10 na FNAC)
A estrada – Cormac McCarthy – Alfaguara Objetiva (R$ 23,10 na Cia dos Livros)
As estrelas – mito e sedução no cinema – Edgar Morin – Ed. José Olympio (R$ 15,20 na Academia do Livro)
Eu e tu – Martin Buber – Ed. Centauro (R$ 31,60 na Cia dos Livros)
Eu; Fellini – Charlote Chandler – Ed. Record (R$ 54,90 na Saraiva)
Eu não sou cachorro, não – Paulo César de Araújo – Ed. Record / RCB (R$ 38,18 na Arte Pau Brasil)
Eu te darei o céu e outras promessas dos anos 60 – Ivana Arruda Leite – Ed. 34 (R$ 20,50 na Melhoramentos)
Fashion cultures: theories, explorations and analysis – Stella Bruzzi e Pamela Church Gibson – Routledge (US$ 34,40 na Amazon)
Fashion-ology: and introduction to fashion studies – Yuniya Kawamura – Berg Publishers (US$ 24,95 na Amazon)
Fazer um filme – Federico Fellini – Civilização Brasileira (R$ 32,39 na Cia dos Livros)
Fetiche – Valerie Steele – Ed. Rocco (R$ 45,03 na Cia dos Livros)
Filho da revolução: minha infância na Cuba de Fidel Castro – Luis Manuel Garcia – Ed. Landscape (R$ 27,22 na Cia dos Livros)
François Truffaut: uma biografia – Serge Toubiana e Antoine de Baecque – Ed. Record (R$ 62,41 na Cia dos Livros)
Frescos trópicos: fontes sobre homossexualidade masculina no Brasil – James N. Green e Ronald Polito – Ed. José Olympio (R$ 18,90 na FNAC)
Gente de cinema: Woody Allen – Neusa Barbosa – Ed. Papagaio (R$ 24 na Cia dos Livros)
Os grandes símios – Will Self – Alfaguara Objetiva (R$ 46,72 na Cia dos Livros)
Granta em português: os melhores jovens escritores norte-americanos – vários – Alfaguara Objetiva (R$ 31,10 na Cia dos Livros)
Gueixa – Liza Dalby – Ed. Objetiva (R$ 32,80 na FNAC)
História da alimentação – Jean-Louis Flandrin e Massimo Montanari – Estação Liberdade (R$ 110 no Submarino)
A história da alimentação no Brasil – Luis da Câmara Cascudo – Ed. Global (R$ 78,90 na Saraiva)
História da Grécia 1: Antiguidade Clássica – Mario Giordani – Ed. Vozes (R$ 57,10 na FNAC)
História da loucura – Michel Foucault – Ed. Perspectiva (R$ 29,90 na Cia dos Livros)
A história de nossos gestos – Luis da Câmara Cascudo – Ed. Global (R$ 36,57 na Cia dos Livros)
A história maravilhosa dos Maias – Affonso Varzea – Ed. Nacional (R$ 22,90 na Saraiva)
História sexual da MPB – Rodrigo Faour – Ed. Record (R$ 49,40 na FNAC)
Hitchcock por Hitchcock – Sydnei Gottlieb – Ed. Imago (R$ 53,38 na Cia dos Livros)
Hollywood 1936 – Blaise Cendrars – Ed. Brasiliense (R$ 19,33 na Cia dos Livros)
Holocausto: uma história – Debórah Dwork e Robert Jan van Pelt – Ed. Imago (R$ 58,22 na Livraria Melhoramentos)
A homossexualidade na Grécia Antiga – Kenneth J. Dover – Ed. Nova Alexandria (R$ 45,50 na FNAC)
Homossexualidade: uma história – Collin Spencer – Ed. Record (R$ 61 na FNAC)
Howard Hughes em Hollywood – Tony Thomas – Ed. Frente (R$ 24,19 na Livraria Melhoramentos)
Ilusões perdidas – Balzac – Cia das Letras (R$ 18,17 na Cia dos Livros)
Os Incas 1: a princesa do sol – Antoine B. Daniel – Ed. Objetiva (R$ 31,40 na FNAC)
Os Incas 2: o ouro de Cuzco – Antoine B. Daniel – Ed. Objetiva (R$ 32,10 na FNAC)
Incidentes – Roland Barthes – Ed. Martins Fontes (R$ 23,63 na Arte Pau Brasil)
The japanese revolution in Paris fashion – Yuniya Kawamura – Berg Publishers (US$ 29,95 na Amazon)
Jesus – Juanribe Pagliarin – Ed. Landscape (R$ 18,72 na Cia dos Livros)
Jules e Jim: o roteiro, o romance – Henri-Pierre Roche e François Truffaut – Ed. Jorge Zahar (R$ 36,19 na Artepaubrasil)
Kafka à beira mar – Haruki Murakami – Alfaguara Objetiva (R$ 43,90 na FNAC)
O livro dos seres imaginários – Jorge Luis Borges – Ed. Globo (R$ 22,80 na Cia dos Livros)
Lógica do sentido – Gilles Deleuze – Ed. Perspectiva (R$ 24,15 na Cia dos Livros)
Manicômios, prisões e conventos – Erving Goffman – Ed. Perspectiva (R$ 26,66 na BestBooks)
Marilyn: as últimas sessões – Michel Schneider – Alfaguara Objetiva (R$ 42,90 na Saraiva)
Mario Reis – o fino do samba – Luis Antonio Giron – Ed. 34 (R$ 30,34 na Melhoramentos)
Medeamaterial e outros textos – Heiner Muller – Ed. Paz e Terra (R$ 26,86 na Cia dos Livros)
Mefistófoles e o andrógino – Mircea Eliade – Ed. Martins Fontes (R$ 30,29 na Cia dos Livros)
Minha idéia de diversão: um romance profilático – Will Self – Geração Editorial (R$ 25,50 na Artepaubrasil)
O mito – K. K. Ruthven – Ed. Perspectiva (R$ 20,54 na Cia dos Livros)
Mito e realidade – Mircea Eliade – Ed. Perspectiva (R$ 19 na Cia dos Livros)
Mitologias – Roland Barthes – Bertrand do Brasil (R$ 25,20 na Arte Pau Brasil)
A moda como ela é – Márcia Disitzer e Silvia Vieira – Senac RJ (R$ 36,30 na FNAC)
Moda contemporânea: quatro ou cinco conexões possíveis – Cristiane Mesquita – Anhembi Morumbi (R$ 15,40 na FNAC)
A morte da tragédia – George Steiner – Ed. Perspectiva (R$ 35,55 na Cia dos Livros)
Mouros, franceses e judeus: três presenças no Brasil – Luis da Câmara Cascudo – Ed. Perspectiva (R$ 15,80 na Cia dos Livros)
Mundo, homem, arte em crise – Mario Pedrosa – Ed. Perspectiva (R$ 20 na Saraiva)
Música para camaleões – Truman Capote – Cia das Letras (R$ 36,19 na Artepaubrasil)
Nefertite: amor, poder e traição no Antigo Egito – Jacqueline Dauxois – Geração Editorial (R$ 29, 93 na Artepaubrasil)
Nenhuma paixão desperdiçada – George Steiner – Ed. Record (R$ 38,71 na Cia dos Livros)
Ninguém é perfeito: Billy Wilder, uma biografia pessoal – Charlotte Chandler – Ed. Landscape (R$ 9,90 na Cia dos Livros)
O que a Bíblia realmente diz sobre a homossexualidade – Daniel Helminiak – Ed. GLS (R$ 23,07 na Cia dos Livros)
Onde andará Dulce Veiga? – Caio Fernando Abreu – Ed. AGIR (R$ 27,93 na Academia do Livro)
A outra face de Hollywood: filme B – A. C. Gomes de Mattos – Ed. Rocco (R$ 22,12 na Cia dos Livros)
Panamérica – José Agrippino de Paula – Ed. Papagaio (R$ 20 na Cia dos Livros)
Para compreender o Islã – Frithjof Schuon – Ed. Best Seller (R$ 23,62 na Cia dos Livros)
Para uma crítica do presente – Irene Cardoso – Ed. 34 (R$ 28,50 na Arte Pau Brasil)
Paris Fashion: a cultural history – Valerie Steele – Berg Publishers (US$ 22,85, usado, na Amazon)
Pessach: a travessia – Carlos Heitor Cony – Cia das Letras (R$ 16 na Livraria Martins Fontes)
Os piratas mais perversos da história – Shelley Klein – Ed. Planeta (R$ 27,90 na FNAC)
Popul Vuh: o livro das criações dos Maias – Luiz Galdino – Ed. Cortez (R$ 20,41 na Cia dos Livros)
O prazer dos olhos: textos sobre o cinema – François Truffaut – Ed. Jorge Zahar (R$ 33,88 na Artepaubrasil)
Primeiro amor – Samuel Beckett – CosacNaify (R$ 22,40 na FNAC)
Produção estética: notas sobre roupas, sujeitos e modos de vida – Rosane Preciosa – Anhembi Morumbi (R$ 16,60 na Cia dos Livros)
Quant by Quant – Mary Quant – Ballantine Mod Books (US$ 54,73, usado, na Amazon)
Quarteto – Manuel Vazquez Montalban – Ed. Objetiva (R$ 18,10 na FNAC)
Questão de ênfase – Susan Sontag – Cia das Letras (R$ 39,90 na FNAC)
As religiões do Antigo Egito: deuses, mitos e rituais domésticos – Byron E. Shafer (R$ 35,02 na Cia dos Livros)
Retórica das paixões – Aristóteles – Ed. Martins Fontes (R$ 20,50 na FNAC)
Rilke Shake – Angélica Freitas – CosacNaify / 7Letras (R$ 18,20 na FNAC)
Rosario Tijeras – Jorge Franco – Alfaguara Objetiva (R$ 20,20 na FNAC)
A roupa e a moda – uma história concisa – James Laver – Cia das Letras (R$ 46,90 na FNAC)
A saga dos cristãos novos – Joseph Eskenazi Pernidji – Ed. Imago (R$ 32,97 na Cia dos Livros)
Sentido das raças – Frithjof Schuon – Ed. Ibrasa (R$ 20,50 na Cia dos Livros)
Sobre comunidade – Martin Buber – Ed. Perspectiva (R$ 20 na Livraria Cultura)
A sucessão no Vaticano: os bastidores da morte de João Paulo II e a eleição de Bento XVI – Wellington Miareli Mesquita – Ed. Landscape (R$ 18,72 na Cia dos Livros)
Superstição no Brasil – Luis da Câmara Cascudo – Ed. Global (R$ 49,29 na Cia dos Livros)
Teatro completo – Qorpo Santo – Ed. Iluminuras (R$ 41,87 na Cia dos Livros)
Trata-me Leão – Hamilton Vaz Pereira – Ed. Objetiva (R$ 25,80 na FNAC)
Travessia de verão – Truman Capote – Alfaguara Objetiva (R$ 22,30 na FNAC)
O tupi e o alaúde – uma interpretação de Macunaíma – Gilda de Mello e Souza – Ed. 34 (R$ 18,04 na Melhoramentos)
Tutancâmon – Andrew Collins e Chris Ogilvie-Herald – Ed. Landscape (R$ 38,22 na Cia dos Livros)
Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres – Clarice Lispector – Ed. Rocco (R$ 20 na Livraria Galileu)
Unissexo: a dessexualização na vida americana – Charles E. Winick – Ed. Perspectiva (R$ 17,38 na Cia dos Livros)
O veneno da serpente – Maria Luiza Tucci Carneiro – Ed. Perspectiva (R$ 19,75 na Cia dos Livros)
A verdade sobre os Incas – Roselis Von Sass – Ed. Ordem do Graal na Terra (R$ 29 na Livraria Cultura)
Vestindo os nus: o figurino em cena – Rosane Muniz – Senac RJ (R$ 34,30 na FNAC)
Vítimas da moda? Como a criamos, por que a seguimos – Guillaume Erner – Senac SP (R$ 29,40 na FNAC)
Vivienne Westwood – Claire Wilcox – Harry n Abrams (R$ 87,50 na Livraria Cultura)
Vivienne Westwood Biography – Jane Mulvagh – HarperCollins UK (R$ 112,14 na Livraria Cultura)
X da Questão: o sujeito à flor da pele – Edgar Morin – ArtMed (R$ 33,18 na Cia dos Livros)

É hora de conferir a listinha

Voltei das férias!
Vamos ver se o Jorge cumpriu tudo o que se prometeu? A saber:

. Assistir ao resto da série de Antoine Doinel, de Truffaut. A saber: Beijos proibidos, Domicílio conjugal e O amor em fuga. Já assisti Os incompreendidos e Antoine e Colette.

SIM! E foi ótimo!

. Ver Tarsila na Pinacoteca.

Não. Qüén.

. Visitar o Museu da Língua Portuguesa: pois é, momento vergonha, eu ainda não fui.

Sim! Não gostei muito da expo do Gilberto Freyre – sei lá, não é muito a minha. O resto eu adorei! Vale a visita, para quem ainda não foi. Não fui para a Tarsila em seguida porque estava com a minha mãe e ela ficou cansadinha.

. Ir na Biblioteca Mário de Andrade, sempre tenho vontade de entrar e não acho oportunidade.

Tá fechada para reforma.

. Assistir a muitos filmes nos canais a cabo.

Siiim! Inclusive assisti Kids return, do Takeshi Kitano, que eu ainda não tinha assistido – Takeshi é um dos meus diretores favoritos. Kids return é bem bom, mas tem uma temática bem machão: boxe e gangsters! Portanto, não é dos meus preferidos do Kitano (em alguns momentos me senti vendo Rocky versão nipônica).
Também vi A sereia do Mississipi, do Truffaut. Achei médio, mas os figurinos de Catherine Deneuve são lindíssimos, by Yves Saint Laurent.

. Comprar uma câmera digital.

Tá nos planos, ainda.

. Comprar uma peça de roupa incrível – uma só, mesmo. Acho que lá Do Estilista, mas ainda vou decidir.

Não, mas comprei MUITOS LIVROS. Muitos mesmo. Então fica para outra vez.

. Ler muito, inclusive O Fim da Modernidade: niilismo e hermenêutica na cultura pós-moderna – o meu lado nerd decidiu comprar em um sebo, e eu quero ler com caderninho do lado e caneta grifa-texto, estudando, procurando entender as partes que eu não pegar ao invés de pulá-las. Ligando para Ana Laura quando eu tiver alguma dúvida. HAHAHA

Comecei, não rolou. Sério, juro que tentei, cheguei no segundo capítulo. Acho que ainda não estou preparado HAHAHAHA

Gilmore girls is for dummies

E digo mais. Antes ainda de Woody Allen – que eu gosto, vocês sabem…
Eu devo dizer que eu sou daquelas pessoas chatas que gostam de Rohmer.

Após acabar de assistir aos filmes com Antoine Doinel, temos uma próxima meta: os contos das quatro estações.

Colette! Afinal, você não era uma vaca tão péssima!

Retiro as coisas feias que eu disse sobre as Colettes.
Afinal, elas são humanas. Eu até me compadeci dela em O amor em fuga.

O amor em fuga
Aqui estão Antoine e Colette, muito tempo depois

Achei muito interessante esses filmes todos sobre o Antoine Doinel. Particularmente, gostei bastante de Domicílio conjugal e de Antoine et Colette, mas todos são bons. O engraçado é que, depois de tantas desilusões amorosas, o Antoine, que justamente se separa e começa a viver aventuras, acaba encontrando o tal grande amor no último filme. Ou não, né? A história só não teve uma continuação filmada, mas eu não duvidaria se aparecesse outro filme com Antoine se separando de novo, e tendo uma nova namorada de novo…


Trailer de O amor em fuga

E você, qual a sua namorada de Doinel preferida? A minha é Christine.
 

É tempo de férias

Minhas férias começaram.
Geralmente eu curto passar as férias em São Paulo, mesmo. Além de não gastar dinheiro, eu tento aproveitar a cidade à tarde. Existe vida por aqui às 15h de uma quarta-feira, por mais que você não ache! Exposições, mostras de cinema, bibliotecas.
Entre as coisas que quero fazer nessas férias:

. Assistir ao resto da série de Antoine Doinel, de Truffaut. A saber: Beijos proibidos, Domicílio conjugal e O amor em fuga. Já assisti Os incompreendidos e Antoine e Colette.
. Ver Tarsila na Pinacoteca.
. Visitar o Museu da Língua Portuguesa: pois é, momento vergonha, eu ainda não fui.
. Ir na Biblioteca Mário de Andrade, sempre tenho vontade de entrar e não acho oportunidade.
. Assistir a muitos filmes nos canais a cabo.
. Comprar uma câmera digital.
. Comprar uma peça de roupa incrível – uma só, mesmo. Acho que lá Do Estilista, mas ainda vou decidir.
. Ler muito, inclusive O Fim da Modernidade: niilismo e hermenêutica na cultura pós-moderna – o meu lado nerd decidiu comprar em um sebo, e eu quero ler com caderninho do lado e caneta grifa-texto, estudando, procurando entender as partes que eu não pegar ao invés de pulá-las. Ligando para Ana Laura quando eu tiver alguma dúvida. HAHAHA