Arquivo da tag: Erika Palomino

Nós já temos uma nova banda preferida

Glass and Glue.
Eu acho Marina Franco linda. Assim, de cair o queixo mesmo. Estilosérrima. Do tipo “quer ser minha amiga pra sempre?”.

Ela se juntou com Mayana Moura e com dois rapazes para formar a banda Glass and Glue, que já saiu na Erika e tudo e tal e vai fazer show amanhã, sexta-feira 13, no Rio. Acho que a data vai dar super sorte para eles (sério!).

Visita o MySpace deles, as músicas cheiram a… show indie que a gente assistia em 2001! Delícia! Revival de 2001, já! Onde eu deixei minha camiseta do Weezer?! Bia, cadê o MP3 de Deceptacon?! Cadê aquela versão do Placebo de Bigmouth strikes again?!
O Gutierrez vai adorar, principalmente porque Marina é gata.
E quando eles vêm fazer show em São Paulo, heim? Heim?

BTW: Marina é estilosérrima & ex-modelo & stylist.

Anúncios

Coisas boas do meu aniversário

O saldo final foi meio merda, mas:
Regina cantou parabéns para mim no telefone. Juro. Cantou a música inteirinha.
O pop-up do site da Erika me desejou feliz aniversário! hahaha
Jana e eu seqüestramos um bebê cigano na praia e vendemos para um casal escandinavo por R$ 200 mil.
Um monte de gente apareceu no quiosque!
O Paulo Martinez também me deu parabéns!

Mas grandes e lindos amigos estão longe.
😦

Arte + moda

A matéria que o André do Val fez no site da Erika sobre arte e moda nesse verão 2009 nas passarelas internacionais é ótima – a galeria está incrível! Vai lá:
Pop, mega-instalações e artistas contemporâneos norteiam
as criações de verão 2009 do Planeta Fashion

A globalização pode afetar a moda?

Bom, se ela afeta até Harajuku

Aqui no Brasil, antes os estilistas do under tinham espaço em algumas publicações alternativas e na Noite Ilustrada da Erika Palomino. E hoje?
– Descobriu-se que o under é tão under e que se a gente não tem nem um mainstream de peso, o under se afoga e não consegue sobreviver? Às vezes eu penso nisso. Uma coisa é ser indie nos EUA, outra é ser indie no Brasil – o povo da música já está escaldado nisso faz tempo.
– Mas não é o under que refresca? Se o under não existir, de onde vem o novo? Se o under se rende ao “isso vende mais que aquilo”, ele não é mais under, certo?
– E os blogs? Volta aquela história que eu já comentei há cerca de duas páginas: os blogs querem ser mainstream. Falam de Dior, Gucci, Prada, Marc Jacobs. Nada contra. Mas o interessante não seria correr atrás do que a imprensa em geral não fala?

Pense nisso. Eu tô pensando. E a Casa de Criadores vem aí: espaço de experimentação ou “correndo atrás pois quero ser grande”? A CC começa no dia 08.12.

Obs.: Sou mais 284 do que Zara. E não somente por causa da roupa em si… E se a H&M chegar? E a Topshop – que deve chegar cara, mas de qualquer forma tem o mesmo conceito de fast fashion? Muitas “questãs”…

Enquanto você acha que Womanizer é boa…

Justin Timberlake, o ex, mostra o que é bom. Parece que a nova já vazou, e o site da Erika já colocou no ar. Gostei – MUITO! Tava fazendo falta umas músicas rebolativas do Justin – as com a Madonna não contaram, não são tão gostosinhas na minha opinião.

Tipo o Flashdance dos garotos

Toda menina queria ser a Jennifer Beals na década de 80. E os meninos queriam fazer parte de gangues! The Warriors, 1979, é um filme muito legal que conta a história dos Guerreiros, uma gangue de Nova York que é acusada injustamente de ter matado um cara que pretendia juntar todas as gangues da cidade para dominá-la. Aí, para voltar para casa (eles moram em Coney Island!), eles dão de cara com várias gangues rivais que querem o couro deles – os mais estilosos na minha opinião, depois dos próprios guerreiros que vestem uns looks meio étnicos de colete de couro, são os Baseball Furies, de uniforme de baseball e cara pintada.


Figurino do Snow, dos Guerreiros


Pintura no rosto dos Baseball Furies.

O filme é tosco de um jeito bem bacana. Aqui tem um site completinho, com várias coisas. INCLUSIVE uma réplica do colete dos guerreiros, por US$ 125. Quem não for muito rico pode me comprar a blusa do Baseball Furries por US$ 39,99. Ou será que é libras? Sei lá. Se fode e me paga.

E tudo se explica: Bobbie Mannix, figurinista de The Warriors, também fez… Xanadu.
Isso aquece o meu coração. Quem se interessou: recomendo procurar a versão dublada, é mais legal ainda.

(o Flesh Beck Crew já se inspirou em Warriors para fazer uma coleção: veja as fotos no site da Erika)

Alexandre, o figurinista

Tô empolgado para assistir Encarnação do demônio. Além de ser o último filme da trilogia do Zé do Caixão (sou megafã, já entrevistei o José Mojica Marins faz um tempão e ele me falou não só de Encarnação do demônio como de Horror na passarela – será que ele ainda pretende dar continuidade para esse?!), tem partes do figurino by Herchcovitch. Deve ser incrí.

Enquanto isso, duas entrevistinhas massa com Alexandre em si: a da Alê Farah, em vídeo, no FilmeFashion, e a de Marcelle, na Erika. Ambas imperdíveis!