Arquivo da tag: Pedro Almodóvar

Questionário Dourado com Ricardo Domeneck – DE BERLIM!

Era muito óbvio o fato de que Ricardo Domeneck merecia ter participado do Questionário Dourado faz tempo. Mas confesso que tinha medo de mandar o questionário pra ele por email e ele elocubrar demais. Rick é poeta, DJ e mora em Berlim. Um dos amigos que eu mais guardo no coração. E já dedicou um poema pra mim que eu considero uma das coisas mais lindas que já me escreveram – e me reconheço ao extremo, até demais, até temerosamente nos versos (tá aqui, é só procurar!). Eu vim pra cá a trabalho pelo Blog LP a convite da Adidas e, como fiquei mais dias, ele me recebeu – muito bem em sua casa. Aproveitei a minha visita à cidade agora pra fazer as perguntas ao vivo.

Portanto, com vocês, o primeiro

QUESTIONÁRIO DOURADO INTERNACIONAL COM RICARDO DOMENECK

1. Me conta uma coisa que você fazia há 5 anos e não faz mais.
Ir no Biu.

2. Me diz um filme que você gostaria de ter feito, e o porquê.
“A professora de piano”, pra poder convidar a Isabelle Huppert quando eu quisesse pra gente tomar champanhe e ver uns pornôs.


“Me dá essa taça logo, então”

3. Me diz uma coisa que você comprou e nunca usou. Por que você nunca usou?
Uma calça xadrez no Mercado Mundo Mix da qual eu me arrependi assim que pus os pés pra fora do galpão. Isso foi em 2001! Coloca que foi em 2001!

4. Qual é a fase da sua vida que você quer lembrar pra sempre?
Quando eu morava no Sobrado, com um bando de gente inteligente mas proletariado, escrevendo meu 1º livro e mais facilmente deslumbrado com as coisas.

5. Qual é a palavra que você está usando muito agora?
Banause” – que é uma expressão alemã pra cafona.

6. Me conta uma coisa muito exótica que você amava nos anos 90.
A tatuagem no braço esquerdo de Jon Bon Jovi – especialmente na perspectiva generosamente doada pelo vídeo “Keep the faith”.

7. Me fala o que te faz rir muito, e o porquê.
Qualquer tipo de humor autodepreciativo.

8. Que personagem de novela você gostaria de ser? Por quê?
Viúva Porcina, porque é o mais perto que o Brasil já chegou de Almodóvar.


Vamos pular a parte que a gente imagina o Rick de turbante e batom.

9. Me diz um defeito seu e um defeito meu.
Quando dois amigos meus que me tinham como elo passam a ter um relacionamento independente de mim, a minha primeira reação incontrolável é a ofensa. O seu: na 1ª semana de julho de 2001, eu costumava achar você um pouquinho judgementhal (a Carrie já disse isso pra Miranda).

10. Qual é a música mais linda que você já ouviu?
Vou dizer a 1ª que me veio na cabeça, sem pensar muito. “Rising”, da Lhasa de Sela.



VISITA O RICK!

Interesses

Me interessam a chegada do homem à lua,
a letra que significa ss mas não se parece com um ss,
o museu dedicado ao presidente Kennedy,
o jeito como aquele menino de 4 anos tropeçou e reclamou,
os cavalinhos que estavam de bunda e viraram de frente,
as lojas de fast fashion e suas inacreditáveis ofertas,
o fato da C&A se falar cunda e vender a marca Angelo Litrico,
a quantidade de folhas caídas pelo chão,
a quantidade de frutos do mar que comi até agora,
o refrigerante orgânico,
o fato de que talvez várias pessoas nesse trem não estejam pagando a passagem,
o filme de Almodóvar em que Berlim aparece,
aquela loja – estou passando na frente dela praticamente todos os dias e nunca entro – e
o sol, quando ele aparece,
os preços,
o menu do McDonald’s (gosto de comparar e ver as diferenças),
o gosto pela música eletrônica que eles têm,
o gosto por comida vietnamita que eles têm,
a pronúncia aproximada de “sweeter” e “suíta”,
a minha pronúncia inadequada de praticamente tudo (eu digo inválidenshtrasse e o taxista me corrige invalídenshtrasse, ele diz goodbye e eu digo hello),
os narizes,
a adaptação ao frio,
os tamanhos diferentes das cédulas,
o chocolate com embalagem que imita as cédulas,
o gosto das coisas,
a quantidade de estrangeiros,
o gestual das bichas na boate extremamente similar ao gestual das bichas na boate paulistana,
as rugas de Michael Stipe,
a quantidade de coisas pra se ver na estação central de trem,
a quantidade de coisas pra se ver em todos os lugares,
a pele branquíssima, branquérrima, extrema e surpreendentemente mais branca que a minha
e os músculos da sua perna.

De onde você tirou esses músculos todos, Claudia Raia?

Vintage e Brega. Qual é, na sua opinião, a linha (tênue por sinal) que divide esses dois conceitos?

Não acho tênue. E acho que depende de cada um, do ponto de vista de cada um. Mas brega é um conceito tão chinfrim, tão passê… Tipo, Prada é brega? Kitsch é brega? Pedro Almodóvar é brega? Brega, pra mim, é não ter personalidade.

Ask me anything

seus filmes prediletos do woody, clint, kubrick, sofia coppola e almodovar?

woody – Annie Hall; clint – não tem, não gosto muito; kubrick – fico entre Laranja mecânica e O iluminado; sofia – Encontros e desencontros; almodovar – difícil escolher, mas acho que Kika.

Ask me anything

Eu te amo

“Compreendo muito bem seu principal problema: a dificuldade que o amante tem de provar ao outro que o ama; sua insegurança face ao outro, que ele nunca sabe se compreendeu bem seus sentimentos; uma incerteza que está sempre presente no amor. Preciso que me digam todos os dias que me amam, e todos os dias isso é algo novo, jamais é conquistado de maneira definitiva. De um dia para o outro, o amor pode acabar. É como um milagre, e todos os dias é preciso comprovar que ele continua a existir.”

Pedro Almodóvar, sobre o personagem Ricki, em Ata-me!
Do livro Conversas com Almodóvar, de Frederic Strauss

O novo point

Galeria Garden.
Lá vai ter loja superbacana de decoração e a Cream, marca de lingerie da Patrícia Grejanin (Laundry e Mint).
Lá já tem o Juisi e a Rainbow – onde eu comprei uma HQ ótima que depois eu comento (a Bia que tá lendo primeiro) e um livro com uma megaentrevista com Almodóvar.

E lá agora tem internet wireless! ADORO! Agora eu tenho lap, eu posso usufruir desse TIPO DE SERVIÇOS.


A fachada da Rainbow

Mais Penelope

Tô viciado nessa mulher. E fiquei sabendo hoje, por acaso, que ela é mais uma vez estrela de Almodóvar em Los abrazos rotos, que deve estrear em 2009. Ao lado de… ROSSY DE PALMA!


Cinturas para o alto, e avante!

OK, esse cabelo de Penélope está “de foder”. Mas o look até que é simpatiquinho, conjuntinho, do jeito que estamos gostando. E Rossy tá absurdada/abusada, como sempre.
Quer ver outras fotos? Aqui!