Arquivo da tag: Do Estilista

É hora de conferir a listinha

Voltei das férias!
Vamos ver se o Jorge cumpriu tudo o que se prometeu? A saber:

. Assistir ao resto da série de Antoine Doinel, de Truffaut. A saber: Beijos proibidos, Domicílio conjugal e O amor em fuga. Já assisti Os incompreendidos e Antoine e Colette.

SIM! E foi ótimo!

. Ver Tarsila na Pinacoteca.

Não. Qüén.

. Visitar o Museu da Língua Portuguesa: pois é, momento vergonha, eu ainda não fui.

Sim! Não gostei muito da expo do Gilberto Freyre – sei lá, não é muito a minha. O resto eu adorei! Vale a visita, para quem ainda não foi. Não fui para a Tarsila em seguida porque estava com a minha mãe e ela ficou cansadinha.

. Ir na Biblioteca Mário de Andrade, sempre tenho vontade de entrar e não acho oportunidade.

Tá fechada para reforma.

. Assistir a muitos filmes nos canais a cabo.

Siiim! Inclusive assisti Kids return, do Takeshi Kitano, que eu ainda não tinha assistido – Takeshi é um dos meus diretores favoritos. Kids return é bem bom, mas tem uma temática bem machão: boxe e gangsters! Portanto, não é dos meus preferidos do Kitano (em alguns momentos me senti vendo Rocky versão nipônica).
Também vi A sereia do Mississipi, do Truffaut. Achei médio, mas os figurinos de Catherine Deneuve são lindíssimos, by Yves Saint Laurent.

. Comprar uma câmera digital.

Tá nos planos, ainda.

. Comprar uma peça de roupa incrível – uma só, mesmo. Acho que lá Do Estilista, mas ainda vou decidir.

Não, mas comprei MUITOS LIVROS. Muitos mesmo. Então fica para outra vez.

. Ler muito, inclusive O Fim da Modernidade: niilismo e hermenêutica na cultura pós-moderna – o meu lado nerd decidiu comprar em um sebo, e eu quero ler com caderninho do lado e caneta grifa-texto, estudando, procurando entender as partes que eu não pegar ao invés de pulá-las. Ligando para Ana Laura quando eu tiver alguma dúvida. HAHAHA

Comecei, não rolou. Sério, juro que tentei, cheguei no segundo capítulo. Acho que ainda não estou preparado HAHAHAHA

É tempo de férias

Minhas férias começaram.
Geralmente eu curto passar as férias em São Paulo, mesmo. Além de não gastar dinheiro, eu tento aproveitar a cidade à tarde. Existe vida por aqui às 15h de uma quarta-feira, por mais que você não ache! Exposições, mostras de cinema, bibliotecas.
Entre as coisas que quero fazer nessas férias:

. Assistir ao resto da série de Antoine Doinel, de Truffaut. A saber: Beijos proibidos, Domicílio conjugal e O amor em fuga. Já assisti Os incompreendidos e Antoine e Colette.
. Ver Tarsila na Pinacoteca.
. Visitar o Museu da Língua Portuguesa: pois é, momento vergonha, eu ainda não fui.
. Ir na Biblioteca Mário de Andrade, sempre tenho vontade de entrar e não acho oportunidade.
. Assistir a muitos filmes nos canais a cabo.
. Comprar uma câmera digital.
. Comprar uma peça de roupa incrível – uma só, mesmo. Acho que lá Do Estilista, mas ainda vou decidir.
. Ler muito, inclusive O Fim da Modernidade: niilismo e hermenêutica na cultura pós-moderna – o meu lado nerd decidiu comprar em um sebo, e eu quero ler com caderninho do lado e caneta grifa-texto, estudando, procurando entender as partes que eu não pegar ao invés de pulá-las. Ligando para Ana Laura quando eu tiver alguma dúvida. HAHAHA

E não vai acender a luz do quarto quando o sol se for

Mas eu não vou saber de nada do que você vai sentir
sozinha no seu quarto de dormir.
Essa música ainda está na minha cabeça desde o desfile Do Estilista.
E eu, que nunca gostei de Arnaldo Antunes, agora vou ser obrigado a comprar o novo disco desse cara?
Ouça um trecho aqui, patrocínio Estadão. Heh.

 

Enquanto na janela espero a chuva que não quer cair.Aqui, o desfile inteiro, by FilmeFashion:

A música é a primeira e não está completa – teve uma edição. Mas já dá para ouvir ela quase inteira.

 

E antes que eu me esqueça?

O Chic tinha dito que cowboy era tudo.
Eu mesmo coloquei essa imagem aí em cima, do Tex, porque estava numa onda velho oeste forte apache johnny cash tudo junto.
Aí, que eu me lembre, deu cowboy em Prints I Like, Reinaldo Lourenço, Alexandre Masculino, Do Estilista…

O Chic também disse que anos 70 eram tudo falando da temporada de moda internacional passada, usando foto de arquivo de revistas para comparar, etc e tal.
Rolou anos 70. Giselle Nasser, Tereza Santos, Eliza Conde, Renata Veras, Amapô, Cavalera (eu achei, naqueles vestidõezões, e até no tema “vamos refletir, hippies”)…

O Chic disse que aquela lei do make – se você passa batom forte não carrega no olho; se você passa delineador não passa batom escuro – estava prestes a cair. Em vários makes isso realmente foi por água abaixo, com bocões e olhões convivendo pacificamente.

Ou seja: eu gosto muito do lugar onde eu trabalho.

Chill out

Vou falar tudo de uma vez para não precisar mais falar depois!
O SPFW foi BEM legal, eu me empolguei bastante e acho que essa temporada gerou imagens instigantes. Amei Osklen, Ronaldo Fraga, Fabia Bercsek, Do Estilista, Giselle Nasser, V.Rom.

DoEstilista
Do Estilista: esse Marcelo é fogo, hein? Haha
A foto é do Charles Naseh / Chic.

Não vi Cavalera nem Priscilla Darolt, acho que se eu tivesse visto ambos tinha gostado (pelo telão não deu tanto efeito). Tanto Ronaldo quanto Osklen eu tive que ver do telão, também, mas Ronaldo eu fui no backstage antes e vi as roupas de pertinho. E Osklen foi tão absurdo que eu adorei mesmo pelo telão.
Explico para quem não conhece: é muito difícil assistir a todos os desfiles se você trabalha com internet. Tem um monte de coisa para fazer a toda hora, às vezes não dá para parar tudo para ver um desfile. No Chic, a gente divide quem vai fazer cada crítica logo no começo da temporada – mesmo para dar uma estudada nas coleções anteriores das marcas, fazer pré-apuração etc. Então quando a crítica não é minha eu tento ir mesmo assim, mas às vezes, infelizmente, não rola.

Esses eventos de moda também servem para conhecer mais pessoas, são bem bacanas nesse sentido.
(como eu sou discreto, vou falar só isso sobre esse assunto hahaha)

Claro que outros desfiles foram interessantes também. Só quis falar dos meus prediletos porque se for falar de todos, também, eu faço uma revista e arrumo anunciante, né?!

Agora, sobre as outras duas partes da trinca:
Regina Guerreiro – “Você tem uma pegada no texto que é difícil as pessoas terem”.
Costanza Pascolato – “Olha, faz tempo que estou pra te falar isso… seus textos estão cada vez melhores, viu?”

Se quando a Lelê me parou para me elogiar no Milo eu já fiquei todo cagado e enfartado (lembra?), agora vocês podem me visitar na UTI com horário marcado, OK?

E antes que perguntem: a Erika não me elogiou. Nem a Lilian. hahahahahaha

Para não perder o costume dos links: faço das palavras de Gabi as minhas.

No Ziguezague: foi muito legal participar. Eu até anotei algumas coisas das discussões, mas não sei onde enfiei! Sei que rolou Freud, rolou discurso da antropologia para dizer que “masculinidades” e “feminilidades” na verdade são construções sociais e não partem de algo natural-instintivo, como a gente costuma imaginar… Bem cabeçudo, do tipo que eu gosto, mesmo. HEH

E vocês viram a crítica da Adriane?! Fui pego de surpresa, quando entrei hoje vi que ela que tinha assinado a crítica do Ronaldo Fraga! E ficou incrível, adorei!

Agora eu vou tentar encontrar a disposição que deve estar muquifada em alguma gaveta do armário para ir à locadora alugar Godard ou Truffaut. Não é de nojentice, não, é necessidade de se sentir mais inteligente.

Era exclusiva de alguém?

Ops, era.

Mas não é mais…

Al. Franca tem cinco novas lojas: Do Estilista, Fabia Bercsek, D’Arouche, Lê Sacs e Há uma santa.
Leia mais no Chic, ANTES!