Arquivo da tag: Alexandre Herchcovitch

Só para constar, mais um

Alexandre Herchcovitch, verão 2008

Fotos do Chic (vale a pena ver a coleção inteira para comparar)

Akira Naka, Japan Fashion Week, essa semana

Foto AFP

+ JFW: Álbum de fotos do Abril.com.

Pergunta para a Gloria

Ou “eu perguntaria se ainda trabalhasse com ela”
Ou ainda “Carol Vasone também não sabia e também se perguntou”

Fui no evento do MorumbiShopping hoje – lançamento da segunda caixa dos livros de moda brasileira da CosacNaify, que aliás é muito bacana assim como a primeira. Essa segunda tem Lenny, Marcelo Sommer, Reinaldo Lourenço, André Lima e Clô Orozco (a primeira tinha Walter Rodrigues, Ronaldo Fraga, Alexandre Herchcovitch, Gloria Coelho e Lino Villaventura).
Os estilistas estavam lá autografando os livros.

Mas espera.
Não é o autor que devia autografar? Ou o objeto de estudo do livro?

Juro, fiquei sem saber. E no fim comprei o livro mas não pedi autógrafo nenhum.

Passeio guiado pela Caras Moda verãozão 2009

Tô aqui namorando a revista, que tá belíssima, super bem editada, superinformativa etcetc.

Vamos para o nosso JÁ TRADICIONAL passeio guiado? Bora!

Página 10: EDITORIAL FANTÁSTICO. Blablabla. Bla. Blabla. Blablamou, benzinho? Tenho várias leituras: da “é tudo blablablá então nem vou falar” ao “qualquer coisa que dissermos não vai dar conta”. Regina é poeta, minha gente! Uma coisa poesia concreta, um ápice. Adorei, sinceramente. Vai ter gente que vai achar nada a ver. “Mas nós da Caras Moda estamos acima dessas manifestações populares” – quem não entendeu a citação leia O Brasil na moda, ou pergunte para o Mario Mendes – acredite, a história é ótima.
Página 40: não fui eu, juro.
Página 50: “Sei lá, não sou boa ‘nissos'”! Já adotamos, né?
Página 79: EEEE, SOU EU! Mas eu não sabia o que era seersucker.
Pägina 80: Calça Hare Krishna, Oskar, pode me dar uma de presente, aceito de coração.
Página 88: TÁ MARAAAA!
Página 95: Herchcovitch, queremos o lenço também, tô aceitando.
Página 101: Eu quero esse terno areia. Eu quero. Eu quero. Eu quero.
Página 107: Repito, terno areia. Terno areia. Quero. Quero.
Página 114: Na verdade eu queria dizer PÉ QUENTE, CABEÇA FRIA, mas não rolou hahahaha Citar Doces Bárbaros ia ser foda HAHAHAHA
Página 117: SEU NOME ESTÁ NA LISTRAAA? É para causar, heim?
Página 118: Pantanal não poderia ficar de fora. Depois de um banho de loja, antes de um banho de rio…
Página 122: Mais eu! EEEE
Página 124: Citação do RBD, qüende!
Página 130: Então, eu quis dizer que na verdade os bofes vão te achar HORROROSA se você usar isso.
Página 154: A REGINA TAMBÉM NÃO GOSTA DE RENDAAA! AI, QUE AMOOOR!
Para finalizar…
Pägina 194: A frase da temporada – “O pradete está cada vez mais periguete”.

E para os insiders, detalhe nos créditos…
Revisão: Talita Denardi.

Alexandre, o figurinista

Tô empolgado para assistir Encarnação do demônio. Além de ser o último filme da trilogia do Zé do Caixão (sou megafã, já entrevistei o José Mojica Marins faz um tempão e ele me falou não só de Encarnação do demônio como de Horror na passarela – será que ele ainda pretende dar continuidade para esse?!), tem partes do figurino by Herchcovitch. Deve ser incrí.

Enquanto isso, duas entrevistinhas massa com Alexandre em si: a da Alê Farah, em vídeo, no FilmeFashion, e a de Marcelle, na Erika. Ambas imperdíveis!

Pega no meu momento monocromático

Adorei fazer essa matéria!


Simone Nunes, verão 2006, Balenciaga, verão 2008

e…


Miss Venezuela, concurso de 2008

É, meu bem, comece a forrar seu sapatinho com o tecido da mesma cor.
E leia aqui: Conjuntinho não é mais brega! Participação especial: Oficina de Estilo.

(obs.: vale para os boys também, veja desfiles do Herchcovitch, da Amapô, da V.Rom… Quero um terno estampado agoraaa!)

Vem que tem mais

. Alexandre Herchcovitch masculino
. Cori

E a incrível história do SENHOR RUIZ, no blog da Abril!

E antes que eu me esqueça?

O Chic tinha dito que cowboy era tudo.
Eu mesmo coloquei essa imagem aí em cima, do Tex, porque estava numa onda velho oeste forte apache johnny cash tudo junto.
Aí, que eu me lembre, deu cowboy em Prints I Like, Reinaldo Lourenço, Alexandre Masculino, Do Estilista…

O Chic também disse que anos 70 eram tudo falando da temporada de moda internacional passada, usando foto de arquivo de revistas para comparar, etc e tal.
Rolou anos 70. Giselle Nasser, Tereza Santos, Eliza Conde, Renata Veras, Amapô, Cavalera (eu achei, naqueles vestidõezões, e até no tema “vamos refletir, hippies”)…

O Chic disse que aquela lei do make – se você passa batom forte não carrega no olho; se você passa delineador não passa batom escuro – estava prestes a cair. Em vários makes isso realmente foi por água abaixo, com bocões e olhões convivendo pacificamente.

Ou seja: eu gosto muito do lugar onde eu trabalho.

Objetos de desejo

Uma pimenta verde Jalapeño igual a do Exquisito.
Um óculos da Gloria Coelho by Ventura (saiu no editorial da Revista Moda que saiu na sexta, aquele fotografado por Heitor Dhalia que está incrível).
Uma camisa branca para usar as abotoaduras que a Gloria me deu.

Tá, vou contar, essa é engraçada:
Gloria deu presente de Natal para todos. Aí ela entregou o meu e o do Eduardo dizendo: “Isso é uma coisa que eu tenho certeza que vocês não têm e que vocês deveriam ter!”.

OK. Aí eu abri, né?
Aí eu fiquei olhando para aquele par de coisas de metal pequenas. “Uai, não é um brinco, gente, o que pode ser?”.
A Gloria percebeu o meu olhar de interrogação e me salvou: “são abotoaduras!”. E eu respondi: “Ai, Gloria, que incrível, obrigado!” – e eu realmente achei incrível, mas fiquei pensando como eu usaria aquele negócio que eu nunca tinha visto tão de perto antes.

Tenho certeza que tem muita gente que também não sabe direito como é uma abotoadura e como usá-la. Aí eu descobri: o segredo é que o punho da camisa tem que ser durinho e ter duas casas, ao invés de uma casa e um botão. Aí a abotoadura entra pelas casas. Sacou?

Agora me falta uma camisa com punho que permita uma abotoadura. Ou, segundo sugestão da Gloria, dá para fazer uma graça e pendurá-las com alfinete mesmo.
Para quem quer uma abotoadura caríssima, veja algumas aqui. A minha é do Herchcovitch, que deve ser bem mais em conta.

Vale o quanto pesa?

O único problema da coleção Moda Brasileira, da CosacNaify, é o preço. Os livros não são vendidos separadamento e a caixa custa R$ 189. OK, se você tem R$ 189 no bolso, vale a pena, mas o ideal seria poder comprar um livro por vez e ir formando a coleção. O que não seria bom, nesse caso, é que provavelmente o exemplar do Alexandre Herchcovitch seria muito mais vendido do que os outros – por ele já ter um nome mais forte na mídia, mesmo, mais do que por ser o melhor exemplar dos cinco.
Fora isso, já li o do Walter Rodrigues e estou lendo o do Ronaldo Fraga. Digo logo que são muito bons: a qualidade é impecável. Algumas pessoas podem reclamar por achar a quantidade de texto muito pequena, mas de qualquer forma eles são muitíssimo bem escritos, cheios de informação pertinente. E as imagens são realmente lindas.

Parece que o plano da editora é lançar mais uma leva de cinco. Que eu saiba, Clô Orozco está entre os próximos estilistas homenageados. ÓUN. Quem você acha que também deveria estar? Meus palpites: Reinaldo Lourenço, Oskar Metsavaht, Marcelo Sommer, Amir Slama.
E não dá para esquecer Andrea Saletto, Mara Mac, esse povo da moda carioca ficou meio esquecido, né? Aliás, um livro sobre gente como George Henri e Gregorio Faganello seriam incríveis! Coisa mais histórica mesmo.
E Clodovil?!
Dener eu sei que está sendo feito pela Cosac, já, e acredito que não vai fazer parte dessa coleção nesse formato – deve virar algo maior.

Bom, quem quiser garantir seu exemplar dessa primeira caixa, compre aqui, pelo próprio site da editora.