Arquivo da categoria: comida

É hora de revisão de 2008!

Lembra que em dezembro de 2007 eu fiz uma revisão do ano? Não, né? Mas eu lembro que eu fiz. haha

Fiquei com vontade de fazer uma de 2008!

2008 foi ano de:

. Perceber que o jornalismo de moda é antes de mais nada jornalismo. E que nós somos peões, por mais que nossos jabás sejam mais bonitos que os dos colegas. Perceber também que dá mais audiência falar de coisa barata e bacana do que falar de coisa cara e inalcançável – e além da audiência, é muito mais legal!
Jornalismo é uma profissão bizarríssima. A gente reclama de plantão, reclama de cansaço, reclama de pouco dinheiro… mas no fundo a gente ama e só sabe fazer isso.

. Trabalhar com REGINA GUERREIRO! Vish!

. Ficar AINDA MAIS IRRITADO com meu peso e depois chegar à conclusão de que isso é uma besteira. Quero continuar comendo, e muito, e bem. Eu descobri que gosto de comer tanto, mas tanto, que até fiz um blog esse ano por causa disso (o blog está largadinho nesses últimos tempos, a gente sabe, mas vai voltar, prometo)! Como salada pra caralho, almoço direitinho. Ou seja, sou saudável. E tomo cerveja pra caralho também. Então, que se foda.

. Assistir a filmes franceses compulsivamente.

. Morar sozinho! Já era hora, não? Aprendi que dá trabalho mas que se você desencanar às vezes a casa não cai – e a multa da conta atrasada é foda, mas não é o fim do mundo. Eu tenho que agradecer a Bia, que é uma fofa e cuida muito mais da casa que eu. O Teatro da Vida está tranqüilo, em paz e precisando trocar o rejunte do banheiro, mas tudo bem!

. Mudar de emprego. Dá saudades do Chic, sim. Mas na verdade eu já estava com saudades do Chic quando eu estava no Chic, no primeiro semestre.
Quem entendeu, entendeu.
O Abril.com significa muitas outras coisas. E significa que às vezes… o seu hype pode vir em dinheiro, mesmo!!! Surpreendente!

. Descobrir que sexo casual, ao contrário do que minha educação católica insistia em gritar na minha cabeça, é ótimo. Faz bem pra pele. Reanima. E o melhor de tudo é que o participante do seu sexo casual não precisa ser nada, só precisa saber fazer sexo! Ele pode ser feinho, bizarro, completamente nada a ver com você.
Mas pense: já foi difícil eu me convencer que traição não era o fim do mundo. Sexo casual, então… demorou tudo isso. Daqui uns anos eu viro sadomasoquista! Mentira, não viro, não.

. Descobrir mais do que nunca que a Liberdade é a minha segunda casa.

. Me apaixonar por uma pessoa certa. E por VÁRIAS pessoas erradas. Se é que esse conceito de certo e errado ainda vale na PÓISH-MODERRNIDADHI, né, minha gente?

. Encontrar MAIS AMIGOS AINDA! Eu ainda não entendi como consigo ter tantos amigos. Deve ser meu lado geminiano. Quem me conhece muito bem – acho que a pessoa que melhor pode falar disso além de mim é a Tata – sabe que eu tenho “fases de amizade”. Pode ter três meses que eu me sinto superbem com uma pessoa, e falo com ela praticamente todo dia e sei tudo da vida dela. Aí, de repente, bate alguma coisa e eu já não consigo mais ser tão ligado àquela pessoa. Depois de umas semanas ou uns meses, eu posso voltar a ficar superunido a essa pessoa. Acho que é uma questão de fases de vida, mesmo, porque nem todo mundo tem o mesmo ritmo e está a fim das mesmas coisas, dos mesmos programas e dos mesmos papos. Normal. Tem gente que não lida bem com isso – eu mesmo não lido bem, às vezes, quando eu sou o amigo “deixado”. Mas procuro entender, juro.
Fora isso: Mari & Raul + Jana, vocês são lindos.
E existem outras possibilidades amizísticas prontas para estourar em 2009! (antes que a brigue comigo!)

. Me apaixonar de vez por Brasília e de me apaixonar por BH, que devo confessar que não gostava muito. Também foi o ano de relativizar o Rio de vez – não gosto tanto. Talvez tenha perdido o encanto. É bacana, mas não me anima ir para lá como me animava antes. E “re”conheci Fortaleza – e foi muito bom!

. Entender mais alguns amigos. Entender menos outros.

. Beber muito. Dar muita risada. Passar por situações esquisitas. Ser feliz.

Fui feliz em 2008! E 2009, o que nos espera? Nas cenas dos próximos capítulos…

MAGIA CIGANA!
MAMBO CALIENTE!
UM NOVO MOMENTO PARA O TEATRO DA VIDA, SERÁ?
ENCONTROS E DESPEDIDAS?
MAIS CERVEJA, MAIS VARZEAMENTOS!
BEIJOS, ABRAÇOS, SEXO?
$$$?

AMOR?

Anúncios

O Teatro da Vida adora

a dieta da banana!

A dieta da banana veio do Japão! Somos fãs!
Bia vive comendo banana agora, mas na verdade ela nem leu sobre a dieta, ela só leu uma manchete que dizia “Banana afina a cintura”.

A dieta funciona mais ou menos assim: você se empanturra de banana pela manhã e depois não consegue comer mais nada! Além disso, você evita frituras, doces, refrigerantes – ou seja, é uma dieta como qualquer outra, só que numa versão primata!

OK, é um pouco mais complexo que isso.

KD

No biscoito da sorte (porque afinal plantão tem gosto de China in Box):

“Para de estar sempre procurando, a felicidade está bem próxima de você”.

AH, É? E tá onde? NA SEXTA-FEIRA À NOITE, QUANDO ESSE PLANTÃO VAI TER ACABADO?!

Então é Natal…

Lembra que eu falei que na noite do Prêmio Moda Brasil eu fui cobrir uma CEIA DE NATAL?
Pois.

No Abril.com a gente não fala só de moda.
. Estilistas dão idéias criativas de decoração de mesa de Natal
. Receita de ceia de Natal vegetariana
. Especialista fala tudo o que você precisa saber sobre a ceia
. Ceia light: sim, ainda tem gente que se preocupa com isso…

Ufa! Produzi quatro matérias, chega. Estou esgotado.

Vegan é algo que eu nunca conseguiria ser

Mas eu MORRO de curiosidade.
A Kaori virou vegan de vez – mas ainda está em processo de adaptação, porque existe a história de você não poder consumir um produto que é vegan mas que é produzido por uma empresa que faz produtos que não são 100% vegan. Aí eu perguntei umas coisas para ela, e outras coisas eu já sabia.

* O Talento 55% cacau NÃO VAI LEITE, é vegan – teoricamente. Porque como ele é produzido pela Garoto, então ele não seria considerado vegan por aqueles veganos ferrenhos – já que a Garoto faz outros produtos com leite.

* Tem uma marca de xampu que é 100% vegan, ela chama Surya e vende na Ikesaki da Liberdade. Kaori diz que é ótima!

* Tem cerveja que usa pó de osso bovino no processo de feitura. Não sabemos qual é, alguém sabe?

* Outra opção de lanchinho vegano é a Nutty Bavarian! ADORO!

* A Nívea não testa seus produtos em animais – MAAAS tem produtos que levam leite. Alguns sim, outros não.

* Mais lanchinho: patê de tofu com pão integral. A Kaori tempera o patê dela com curry, cebolinha, pimenta branca, azeite e sal. Ela disse que tem uma marca chamada Samurai (samurai?!) que tem patê de tofu com vários sabores, tipo tomate seco, azeitona (huuummm)… Também tem hambúrguer dessa mesma marca feito com grãos que a Kaori disse que é bom!

* O truque da Kaori para fazer o molho do macarrão e ninguém reclamar que está faltando carne é colocar shimeji!

* Tem um site legal de uma menina que eu conheci láááá na ESPM – ela chama Ana Elisa e hoje ela é vegetariana! As receitas do blog dela, chamado La Cucinetta, são mega bacanas – e algumas, acho, podem ser adaptáveis para vegans. Kaori me contou que ela prefere fazer tudo em casa. TU-DO. Tipo pão, sorvete…

Bom, eu não estou nem um pingo preparado para ser vegan – uma vez que nem vegetariano eu consigo ser, né, minha gente? Mas acho interessante, e inclusive talvez eu ache mais interessante por admirar essa vida cheia de limitações em que você tem que pensar em soluções criativas que às vezes acabam se provando muito bacanas.

Para terminar… RECEITA!!!

Fudgy Wudgy Blueberry Brownie – do Livro Veganomicon
(Brownie Cremoso de Blueberry – receita vegana)

Rendimento:16 brownies
Tempo de preparo: 50 minutos

————–

Dicas:

1) Quanto melhor a qualidade do chocolate vegan (meio amargo ou amargo), melhor o brownie. De preferência os ingredientes indicados na embalagem devem ser: açúcar, cacau, baunilha e lecitina de soja. Evite marcas que contenham xarope de milho com alto teor de frutose. Recomendo os chocolate chips da Callebaut, com 70% de cacau (ou porcentagem aproximada). É uma marca nacional mas de ótima qualidade para culinária.

2) Como a consistência da “spreadable fruit” pode variar, dê preferência à que não possui blueberries inteiras. Se tiverem blueberries inteiras, basta processá-las por alguns minutos até que fiquem homogêneas.

3) No livro, as autoras falam de “spreadable fruit”, que é uma espécie de geléia, porém mais densa. Dê preferência às que não possuem adição de açúcar.

4) Leite de soja, costumo usar Ades ou Naturis da Batavo, pois possuem uma consistência melhor que os outros.

—————

Ingredientes:

2/3 de xícara + 1/2 xícara de chocolate chips (gotas de chocolate) meio amargo ou amargo
280g de blueberry spreadable fruit
1/4 de xícara de leite de soja
3/4 de xícara de açúcar cristal orgânico
1/2 xícara de óleo de canola
2 colheres de chá de essência de baunilha
1/2 colher de chá de extrato de amêndoa
1xícara e 1/2 de farinha de trigo
1/4 de xícara de cacau em pó (e não achocolatado)
1/4 de colher de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1/4 de colher de chá de sal
1 xícara de blueberries frescas

—————

Modo de Preparo:

Pré-aqueça o forno a 160ºC. Unte uma forma de aproximadamente 23cm x 33cm, coloque papel manteiga, unte novamente e enfarinhe.

Derreta em banho-maria 2/3 de xícara de chocolate chips e reserve a 1/2 xícara com os chocolate chips inteiros. Em uma tigela grande, misture a blueberry spreadable fruit, o leite de soja, açúcar, óleo de canola, essência de baunilha e extrato de amêndoas. Se estiver usando batedeira, misture por 2 minutos (eu costumo misturar na mão). Peneire e adicione a farinha, cacau em pó, fermento, bicarbonato e sal. Misture até ficar homogêneo. Neste estágio, use um garfo ou uma colher grande, pois a massa fica muito densa para ser batida em batedeira. Adicione agora os chocolate chips (1/2 xícara) e as blueberries frescas e coloque na forma. Não se preocupe se a massa não se espalhar por completo nos cantos da forma, pois ela irá derreter com o calor do fogo.

O livro diz que o tempo de forno é de 45 minutos. Como já fiz brownie tradicional antes, usei como referência o tempo que estou acostumada, que é em torno de 20 a 25 minutos (varia de forno para forno e a forma também influencia no resultado final). Neste caso não adianta fazer teste com palito, pois os chocolate chips derretidos farão com que o brownie pareça cru, quando na verdade estará pronto. Deixe esfriar por completo e então tire da forma. Se quiser servi-lo ainda quente, espere 30 minutos para cortar e então combine-o com um sorvete de baunilha.

Obs.: Kaori disse que tem que fazer com chocolate bom, com cacau em pó bom, senão não rola! Ela já fez e diz que todo mundo gosta (inclusive quem não é vegan)! Deu vontade mesmo, né?!

DIA DE FOLGA!


DIA DE FOLGA!

Originally uploaded by Djoh

Você vê, pelas compras, como uma casa é SAUDÁVEL.

O que sobrou de ontem é

a sensação absolutamente ridícula de estar sendo comentado de um jeito jocoso por alguém que eu NUNCA
MAS NUNCA
MAS NUNQUINHA

reparei no jeito que se veste.

Mesmo porque eu não sou babaca.

Sério, eu não escreveria isso em um momento normal, mas é que essa constatação me irritou.
As pessoas criam certas mentiras bizarras para elas, e acreditam nelas com FORÇA, do tipo “se eu acreditar com BASTANTE FORÇA de repente sai uma verdade, tipo fazer força no banheiro e soltar um peido”.
Ainda me surpreendo com os humanos.
Mas que bom, né, que me surpreendo.

Mas eu tenho outras coisas para me preocupar.
Que tal se eu virasse flexitariano?
É esse o tipo de assunto que o plantão pode render para você.

ALIÁS, FALANDO EM VEGETARIANISMO: Sair sem óculos é uma merda. Você pode passar por situações do tipo quase ignorar seu ex-namorado, o que não é uma coisa fina de se fazer.

Tõ inspirado, posso continuar?
Ontem me vi numa situação muito peculiar. Uma pessoa garantiu, mas assim, colocou a mão no FOGO, que eu levei um DINOSSAURO na segunda edição do Chá com Bolachas.
Alôu.
Não me lembro de ter um dinossauro de estimação. Aliás, não me lembro de ter ido na segunda edição do Chá com Bolachas.
Fiquei extremamente encafifado – quem é louco, ela ou eu?

Foi mais ou menos a mesma sensação que eu tive quando um cara (não revelarei nomes, sou discreto) me falou “AH, bicha, você acha que eu não lembro de você comigo e com a [nome de um DJ] no banheiro da Lôca cheirando? Pára de fazer a linha!”.
Ainda bem que eu não estava bêbado. A resposta foi: “Fulano. [pausa dramática] Eu não cheiro”.

Um uísque, por favor?